ate-onde-deu-pra-ir-de-bicicleta-cicloturismo-chapada-diamantina

Cicloturismo: Pedal Lençóis – Igatu – Poço Azul na Chapada Diamantina

Por Romulo Coelho Spiridigliozzi

Na sequência do Trekking Guiné – Vale do Capão, fizemos o tão esperado pedal na Chapada Diamantina. O planejamento inicial era de 7 dias de pedal, mas não queríamos pegar agência para esse tour, porque o preço é bem salgado, então deixamos para decidir lá em Lençóis o que fazer. Escolhemos esse trajeto, que sai de Lençóis e vai até Igatu, pernoita lá e depois segue até o Poço Azul.

Chapada Diamantina

A preparação da viagem

Como estávamos preparados para um pedal maior, levamos bagageiros e alforges, mas que poderíamos ter dispensado nesse trajeto, pois fomos “leves”. Na realidade o alforge, mesmo leve muda toda a dinâmica da bike, mas valeu como experiência de primeiro pedal com alforge.

1º dia – de Lençóis a Igatu (Chapada Diamantina)

No primeiro dia, o trecho, que é normalmente cortado por vários rios de correnteza forte, estava seco. Os poucos rios que tinham água, possuiam poucos centímetros de profundidade e as estradas eram pura areia, ou seja, um desafio para pedalar.

Chapada Diamantina

Paramos na Cachoeira do Roncador, quase seca, para um merecido banho e lanche.

Cachoeira do Roncador - Chapada Diamantina

O calor estava pegando e aí que senti meus lábios rachando, vacilo causado pelo sol forte, suor salgado e falta de protetor labial.
Passado o trecho de terra, chegamos na BR até a cidade de Andaraí, com pausa na famosa sorveteria.

Mais uns quilômetros de asfalto chegaríamos a grande subida de Igatú. Em condições normais seria uma subida de respeito, pesadinha devido a distância e as pedras difíceis de pedalar. Agora some a isso uns 10 kg de alforge desestabilizando a bike + um sol que devia estar beirando uns 40ºC + uns 40 km sendo boa parte pedalados na areia !!!

No começo da subida eu pensei que não ia dar conta, mas o tempo foi passando, fizemos algumas paradas, quase esgotando a água que tínhamos. Estava tão quente que primeiro me livrei do capacete, depois foi o óculos que estava totalmente molhado de suor. Uma hora e tanto depois chegamos e fomos direto para a pousada.

Houve disputa pela mangueira de água. Acho que foi uma meia hora jogando água na cabeça para refrescar. Insano o calor.

A cidade de Igatu não tem muito que fazer à noite e nos contentamos com o excelente jantar na pousada.

2º dia: pedal Igatu – Poço Azul (Chapada Diamantina)

No dia seguinte, descemos as pedras das ruínas de Igatu, que é basicamente o que sobrou da casa dos mineradores da época da extração do diamante. Essa trilha, se podemos chamá-la assim, é um caminho pelas rochas, com alguns trechos bem técnicos de pedal, ótimos para um downhill nervoso. Com o nosso peso, sem chances de qualquer adrenalina na descida. Aliás, nessa hora minha caixa de direção começou a bater.

Esse detalhe, cagada minha na hora de desmontar a bike para colocá-la no malabike. Ao invés de tirar o guidão, tirei o avanço e com isso o tubo central da suspa ficou solto. Na hora de montar, não centralizei o retentor da caixa e estourei ele no aperto. Dava para pedalar, mas a cada quilômetro rodado ficava pior.

Acabando a descida de Igatu, chegamos na BR e rumamos sentido ao Poço Azul, num trecho de subida de uns 2 ou 3 km. Novamente o sol estava castigando, só que agora a subida era mais humana. Em um trecho de descida, percebi que não dava para continuar pedalando, pois o jogo na caixa de direção estava muito grande, e o quadro estava encostando direto na suspa. Com isso, não havia como acertar o rumo do guidão e a bike ficou extremamente instável. A 30 km/h, eu mal conseguia controlar a bike na descida de asfalto liso. Uma hora quase fui para o chão, aí parei para ver o que podia fazer.

O nosso guia Cabelo tirou umas borrachinhas, seçcões cortadas de uma câmara de ar velha. Tirei a suspa, coloquei 3 desses anéis de borracha, montei tudo e segui. Problema acabado !!! Que gambiarra danada, mas a bike ficou como zero. Nessa hora o ânimo voltou.

Logo chegamos a Mucambo, um vilarejo no caminho do Poço Azul, onde começava o trecho de terra. Era um domingo por volta do meio-dia, então o que víamos era o que sobrou de uma festa no sabadão. Achamos um bar aberto, descansamos um pouco, comemos um sanduba e seguimos caminho. Não preciso nem dizer que devia estar fácil fácil mais de 40ºC. O estradão de terra não tinha fim. Era relativamente plano, com alguns trechos curtos de subida. Mas a sensação é que ele não tinha fim.

Vilarejo do Mucambo - Chapada Diamantina

Mais de uma hora depois chegamos no Poço Azul. Paramos as bikes na sombra, ficamos uma meia na ducha gelada com roupa e tudo, chamamos umas geladas no restaurante do lugar e ficamos aguardando nossa vez, sem pressa alguma.

Quando descemos o poço, percebemos que o lugar era muito louco. Pegamos snorkel, minha câmera e entrei. Foi minha primeira experiência com snorkel. É meio esquisito no começo, mas 5 minutos depois já basta para acostumar. Uma das minhas câmeras waterproof entrou água, mas felizmente a filmadora aguentou, donde fiz vários vídeos da belíssima cor da água quando os raios solares entram no poço.

Poço Azul - Chapada Diamantina

Poço Azul – Chapada Diamantina

Após almoçarmos no restaurante encontramos o resgate para nos levar de volta a Lençóis. Uma volta pedalando seria impossível, devido ao cansaço e principalmente ao sol.
No geral o pedal foi bem técnico, no trecho de areia nas proximidades do Roncador, e nos trechos de subida e descida de Igatu. O calor dobrou a dificuldade. Nunca havia pedalado com aquela temperatura. Mas foi massa. Desafio vencido !

Pedal na Chapada Diamantina – Mapas e rotas de GPS

A seguir, captura do Google Earth (1º dia: vermelho e 2º dia: azul) …

.

… e trajeto do GPS de Lençois – Igatu …

… e Igatu – Poço Azul

Opções de Hospedagem

Se você vai pedalar pelas cidades desse roteiro, pode consultar campings, hostels, pousadas e hotéis nos links abaixo:

Pedal na Chapada Diamantina: o vídeo

Segue o videozinho que fiz da aventura:

Quer mais dicas de roteiros para cicloturismo? Clique aqui e veja nossa lista completa de relatos de viagens.

 

 

 




There is 1 comment

Add yours

Post a new comment