[Off] “Sdds Orkut” ;(

0
393

O orkut será desativado, e com ele muitas recordações de uma “época de ouro” para muitos.

“[b][i][blue]Mal conheço o camarada, mas considero pakas![/b[/i[/blue] :D” Hehe, quem nunca postou um depoimento ou algo assim no Orkut?

Sdds Orkut [1]
Triste ver essa mensagem na pagina inicial do Orkut :’(

O Orkut foi a porta de entrada para muita gente conhecer uma rede social, eu eu fui uma delas. Tudo começa quando um dos meus amigos da bike, o William Souza (bem antenado nas novidades da época), me convida a participar do MSN, que na época de 2005 em diante se tornara uma febre. Ele me ensinou passo a passo a iniciar e usar os chat´s, e pouco tempo depois já estava me mandando convite para ingressar ao Orkut (para quem não conheceu essa rede, era necessário ter um convite de quem já estava conectado a rede para poder se conectar também, bem diferente de hoje onde qualquer um pode chegar e entrar. E olha que convites eram “disputados a tapa”, e quem estava na rede já era considerado um “top”)

Sdds Orkut [2]
Caloi: a primeira comunidade que ingressei

Nessa época também, eu estava “engatinhando” no mundo das bicicletas, e minha inserção ao mundo virtual com a ajuda do “Will” só me trouxe lucros (e alguns poucos prejuízos também). Fui procurando, explorando o Orkut, até encontrar o que me agradava. A primeira comunidade que entrei foi a da “Caloi, e lá conheci muita gente interessante, e muitas dessas pessoas tenho contato até hoje, como o Edu Romão (criador da “comu” e hoje diretor da regional sul da Caloi) Luiz Fernando e o Paulo Vinicius (esse residente nos Estados Unidos) e muitos outros. Fui considerado um “guru” por saber muita coisa sobre a marca, além de dar conselhos e dicas sobre os produtos. Tamanho o conhecimento que eu tinha, muita gente achava que eu trabalhava na Caloi (quem me dera…). Não esqueço do post onde comentei sobre a história dos modelos de alumínio: era tantos detalhes que os membros ficaram boquiabertos!

 Sdds Orkut [4]
“Cicloturismo”: foi a partir daí que comecei a “tomar coragem” para fazer uma viagem de bike

Eu sempre tive vontade de sair pedalando por longas distâncias, e a comunidade em questão serviu como uma luva para isso. Quando as dúvidas eram sobre mecânica de bike, lá estava eu prontamente a ajudar os novatos. E eu sempre aprendendo com os cicloturistas mais experientes

 

Mas obviamente essa não foi a única comunidade relacionada a bikes que entrei. A segunda que entrei era a “Clcloturismo”. Eu sempre tive vontade de sair pedalando por longas distâncias, e a comunidade em questão serviu como uma luva para isso. Quando as dúvidas eram sobre mecânica de bike, lá estava eu prontamente a ajudar os novatos. E eu sempre aprendendo com os cicloturistas mais experientes, como o camarada Nelson Neto (da qual eu recepcionei ele e o amigo dele, Alexandre “Jamanta” em Itapema/SC, coisa de 1 ano e meio depois de eu me mudar para o estado), Ivan Rolim e Bruno Bernardo (do até então recém criado MegaRiders, ciclistas de longa distância, baseando-se nos moldes do Audax), e muitos outros como Daniel Chagas, Daniel dos Reis Carracci, Marco A.O Brandão e Erico Pereira (os dois últimos do Ciclotur-Ita) e Ricardo Martins Batista (aquele que também estava iniciando no cicloturismo e, anos depois, fez um giro pela América do Sul, lhe rendendo um livro recheado de histórias e com uma dedicatória a minha pessoa, o que me deixou extremamente contente!). Seguido dela, entrei na “Bikers Brasil”,e lá também era muito requisitado e conquistei muitas amizades.

 Sdds Orkut [5]
“Bicicleta, o melhor transporte”: uma das comunidades que me deu maior visão sobre o assunto

Entrei em várias outras comunidades relacionadas a bicicletas (e carros também, afinal eu sou apaixonado pelas quatro rodas tanto quando as bikes, e isso me rendeu muitas amizades em ambos os lados), Mas foi na comunidade Bicicleta: O Melhor Transporte que ganhei maior visibilidade e responsabilidade! Meu empenho era tanto que fui convidado a moderar a comunidade, algo que até então nem sabia como se fazia. E foi ali que senti na pele o que é ser dono de uma comunidade: aprovar entrada de membros, fiscalizar prováveis encrencas e ainda ser chamado de “puxa saco”, “mercenário” e outras coisas por seres que, acredito eu, só se passavam por valentões na frente da tela do computador. Mas também tinham os gente boa, dispostos a trocar informações e conquistar novas amizades. Foi também no Orkut que rolou altas tretas, muitas por falta de atenção e interpretação de texto, o que me causou, em uma delas, minha remoção da loja de bikes onde trabalhei como montador de bikes. Faz parte :/

Sdds Orkut [3]
“Bikers Brasil”: todas as variações do ciclismo em um lugar só

O tempo passa, e em março de 2010 conheço o facebook. Só entrei nessa nova rede social depois de conhecer um ciclista argentino chamado Rodrigo Altamirano, que veio passar férias aqui no Brasil. E tudo aquilo que passei no Orkut eu iria passar no facebook: novos horizontes, novas pessoas (e até o reencontro de velhos amigos) e novos desafios na World “Wild” Web (entendedores entenderão o “selvagem” em inglês). Foram muitos acontecimentos, até chegar aqui no site Até Onde Deu Para Ir de Bicicleta. Um dia eu conto como vim parar aqui.

Uma coisa é certa: se estou aqui eu devo agradecer ao Orkut e ao William por ter “me jogado” nesse mundo louco da internet. O Orkut terá seu fim, mas pelo menos a Google estará disponibilizando um “backup” de todas as atividades no site desde o inicio, assim como o download de fotos dos álbuns (algo de extrema importância pra mim, pois muitas fotos que estão lá eu perdi depois que o hdd do meu computador deu problema)

O Orkut se vai, mas deixará uma grande lembrança na minha mente, e na de muitas pessoas que usaram e irão usar até o seu final.

Saudades…

Texto e Edição: Kiko Molinari Originals®
Fotos: Reprodução

CLIQUE AQUI E VEJA TODOS OS POSTS DO COLUNISTA KIKO MOLINARI
COMPARTILHAR
Artigo anterior[On Board] Veja um sprint de ciclismo em primeira pessoa
Próximo artigoBike Cana 2014 – inscrições abertas
Meu nome é Cristiano Correa Molinari, mas sou mais conhecido como “Kiko Molinari” (ou simplesmente “Cris” para os mais chegados). Desde pequeno apaixonado por carros, e por volta dos 8 anos já gostava de bikes, mas só aos 15 anos foi que me dei conta que a paixão seria ainda maior. Fiquei conhecido no Orkut em algumas comunidades como “Caloi Oficial”, “Cicloturismo”, “Mecânicos de Bicicleta” e “Bicicleta – o melhor transporte”, devido ao meu empenho em ajudar os mais novatos sobre os vários assuntos acerca das “magrelas”, além de prestar consultoria no meu perfil e no extinto MSN, e assim conquistando muitas amizades durando até hoje. Anos mais tarde, fui editor do blog Bizarrices Automotivas desde a sua criação, por 3 anos a fio, e assim pude aprender a como ser um blogueiro. Com isso, tenho o meu blog chamado Carros Raros BR, focando em modelos considerados raros nas ruas brasileiras. Hoje, faço parte do site Até Onde Deu Pra Ir de Bicicleta, aliando meus conhecimentos adquiridos nos blogs automotivos com os conhecimentos sobre bicicletas que conquistei até hoje. Abraços e bons giros o/

DEIXE UMA RESPOSTA