LATEST ARTICLES

Como trabalhar com ciclismo indoor: descubra o que é preciso para se tornar um profissional da área

Como trabalhar com o ciclismo indoor? Crescente no mercado, para quem ama pedalar, a modalidade é mais uma frente de atuação. Veja o que é preciso para atuar na área.

A pandemia do Covid-19 e a necessidade de isolamento social fez com que várias profissões se reinventassem. As atividades passaram a ser feitas dentro de casa, sendo preciso adaptações. No setor do ciclismo, não foi diferente. Tanto é que aumentaram as buscas sobre como trabalhar com ciclismo indoor.

Para quem ama pedalar, o crescimento da modalidade mostra-se como uma oportunidade de mercado. No entanto, são poucas as informações disponíveis na internet, de confiança, para guiar o futuro profissional.

Pensando nisso, fizemos um post especial reunindo as principais dúvidas sobre o ciclismo indoor enquanto área de trabalho. Esperamos que ajude. Confira a seguir!

O que é o ciclismo indoor?

O ciclismo indoor é uma modalidade de treino na qual, a partir da utilização de uma bicicleta estacionária, replicam-se os mesmos desafios de um treino ao ar livre. Para isso, faz-se uso de diferentes cargas de peso e tipos de movimento.

O interessante da prática é que pode ser executada em qualquer lugar, desde que feita com equipamentos corretos. E a melhor parte, com uma orientação especializada, pode trazer os mesmos benefícios (ou até mais) de um treino tradicional.

Isso porque mesmo com a bicicleta parada, é uma atividade de alta intensidade. Ou seja, é ideal para treinar o condicionamento físico, a respiração e a resistência muscular. Além de ser uma ótima opção para o emagrecimento, é claro. Para mais, pode ser combinado com outros tipos de exercício, melhorando os resultados.

Por causa disso, da versatilidade da prática, associado, também, à curva de aprendizado reduzida, é uma ótima opção tanto para quem está começando, como para quem já é um atleta profissional. 

Para o primeiro, é uma chance de se desenvolver no ciclismo sem riscos de quedas e outras complicações. Já para o atleta profissional, permite combinar treinos com diferentes níveis de intensidade e em qualquer lugar.

Por que o ciclismo indoor cresceu?

bicicleta estacionária

Em um cenário de isolamento social, em que as pessoas estão privadas da convivência e da livre-circulação, treinar em casa é um passo importante para se proteger e manter a sanidade mental. No caso do ciclismo indoor,  permite se exercitar e andar de bicicleta sem se colocar em risco.

Segundo um estudo publicado pela revista científica Diabetes & Metabolic Syndrome: Clinical Research & Reviews, já existem pesquisas que apontam que há uma correlação entre a prática de exercícios e a proteção contra o Covid. De acordo com a mesma publicação, a prática de exercícios fortalece a imunidade no geral e o sistema imunológico.

Mas atenção. Isso não quer dizer que podemos nos descuidar. Apenas que os exercícios são ótimos aliados. Além do mais, existem os ganhos para a saúde mental. Não é segredo para ninguém que quando nos exercitamos, liberamos hormônios que geram sensação de bem-estar. Hormônios aos quais podem ajudar a combater a ansiedade e o estresse.

Neste sentido, o ciclismo indoor torna-se a opção perfeita. Principalmente para quem ama pedalar e para quem detesta a rotina padrão de exercícios. 

Tanto é que as vendas de rolos turbo e bicicletas estacionárias cresceram mais de 977% no Reino Unido. Paralelamente, a Decathlon UK afirmou em entrevista que o crescimento nas vendas dos rolos subiu, durante os meses iniciais da pandemia, para os quatro dígitos.

Como trabalhar com o ciclismo indoor?

Ainda não existe uma graduação específica para trabalhar com ciclismo indoor. O ideal é que o profissional seja formado em educação física, com registro no Conselho Regional de Educação Física (CREF) e com conhecimento na área.

A graduação como educador físico permite ao treinador compreender o funcionamento do corpo e do organismo. Dessa maneira, é possível montar um treino que realmente traga resultados e não corra risco de lesionar o praticante.

Ainda que o ciclismo indoor seja feito em uma bicicleta estacionária, a prática incorreta pode causar lesões musculares, danos nas articulações, problemas posturais, entre outros. Além do mais, é preciso ter conhecimento sobre ciclismo para compreender os melhores tipos e rotinas de treinos.

Assim como outras modalidades, a prática possui um tipo de exercício ideal, normas pré-estabelecidas e outros cuidados que precisam ser tomados. Caso você queira aprender mais sobre a área, deixamos de indicação os cursos da Wide Cycling.

Em diferentes graus de intensidade, cada uma das modalidades de ensino traz a oportunidade de se tornar um especialista no assunto. Tudo isso a partir do contato com os melhores profissionais da área. Vale a pena conferir!

Como adquirir uma bike indoor?

A prática do ciclismo indoor costuma acontecer de duas formas: por meio de uma bicicleta ergométrica ou a partir da adaptação da sua própria bike. No primeiro caso, você investe em um equipamento próprio para o ciclismo indoor.

Embora mais caro, oferece conforto, recursos a mais (medição de pressão, batimentos cardíacos etc) e qualidade no seu treino. Isso sem falar que você não desgasta a sua bicicleta e nem corre o risco de estragar qualquer peça.

Já a adaptação pode ser feita com o auxílio de um rolo de treino. As maiores vantagens são a praticidade, o comodismo e a variedade em modelos que são quatro: rolo de equilíbrio, magnéticos, fluídos e direct mount. Qual escolher? Depende do seu objetivo!

Quais são as principais dicas para atuar na área?

Da mesma forma que em outras profissões, para quem deseja ser um profissional do ciclismo indoor, é fundamental se especializar e buscar sempre conhecimento. O primeiro passo para isso, seria a graduação em educação física.

Mesmo que muitos a tratem como algo desnecessário, é um passo essencial para garantir bons resultados sem risco. A graduação oferece o básico para saber como o corpo funciona e buscar as melhores formas de estimulá-lo.

Depois disso, novamente, são os cursos e aprimoramento constante. Estude sempre sobre ciclismo indoor. Busque novidades, participe de grupos online e troque experiências. É fundamental entender também sobre o ciclismo. Recomendamos a Plataforma Re Cycle para você se aprimorar e adquirir uma formação de qualidade na área.

Por fim, outra dica básica, porém, muito esquecida, é conhecer as nomenclaturas e estudar as boas práticas do ciclismo indoor. Aprenda como regular os equipamentos e oferecer conforto para seus alunos. Pesquise sobre os principais tipos de treino. E claro, seja humilde na sua busca por conhecimentos.

Como vimos ao longo deste artigo, o ciclismo indoor é uma oportunidade de atuação para profissionais de educação física. Durante a pandemia, a busca pela prática cresceu bastante. Para quem deseja trabalhar na área, é recomendado ser formado em educação física, com registro no CREF e com conhecimento sobre ciclismo.
Este conteúdo faz sentido para você? Se após ler o texto, você decidiu dar o primeiro passo, deixamos de indicação a nossa Plataforma ReCycle. Vai ajudar você a se preparar melhor, se planejar e começar uma nova pedalada em busca de um novo futuro.

Como trabalhar com ciclismo: descubra o que é preciso para começar

Você sabe o que é preciso para trabalhar com ciclismo? Veja as principais vantagens da modalidade, como começar e porque vale a pena investir. Confira a seguir!

Trabalhar com ciclismo é o sonho de muitos profissionais. Une o amor por pedalar a uma das modalidades que mais cresce no Brasil. Seja como carreira ou como hobby, gera inúmeras oportunidades de atuação e desenvolvimento pessoal

Para os educadores físicos, é uma opção a mais no mercado. Desde treinadores profissionais a assessoria esportiva, possibilidades não faltam. É fundamental pesquisar antes e buscar referências. 

Isso porque é um segmento novo, ainda em fase de consolidação. Para evitar arrependimentos futuros e pequenos erros que podem comprometer a sua carreira, é preciso entender a área que você pretende se inserir.

Além de tudo, da mesma forma que acontece nos outros setores, trabalhar com ciclismo envolve estudo, investimento em capacitação e aprimoramento constante. Pensando nisso, reunimos as principais dicas para quem quer começar a trabalhar na área. Acompanhe! 

O que é preciso para trabalhar com Ciclismo

Para trabalhar com ciclismo, é preciso ser formado em Educação Física com registro no Conselho Federal de Educação Física (CREF). Além de claro, ter conhecimento na modalidade e compreender como funciona.

Com a popularização do ciclismo, as pessoas passaram a acreditar que para trabalhar na área, basta apenas ter uma bicicleta e gostar de pedalar. É aí que está o problema. Da mesma forma que outras profissões, existem regras, requisitos e normas a serem seguidas.

Quando falamos de exercício físico, é ainda mais delicado. A execução de um movimento errado ou a prática de modo incorreto pode causar problemas posturais e outras complicações para toda a vida.

Complicações as quais podem gerar dores, problemas estéticos e/ou sequelas. Por isso a formação é tão importante. Garante ao profissional conhecimento e expertise para adaptar o treino conforme a demanda de seu aluno. Assim, evita lesões à medida que realmente explora ao máximo o potencial do assistido.

Por que o ciclismo é o esporte que mais cresce no Brasil

Crédito | Fabrício Macedo

No Brasil, são inúmeros os motivos que fazem com que o ciclismo cresça ano a ano. A própria topografia do nosso país é uma das razões. Belas paisagens e trilhas de diferentes graus de intensidade são comuns. Dessa maneira, atraí pessoas de várias idades e localidades.

Existe também a questão cultural e social. Andar de bicicleta tornou-se um hábito dos brasileiros. Por isso, cada dia mais, surgem novos mercados associados à prática. Um exemplo disso são os próprios torneios. Os números de campeonatos por ano mais do que dobraram.

Outro exemplo são as rotas de cicloturismo. O setor de hotelaria e de produção de eventos vê no movimento uma possibilidade de atrair novos públicos. Como resultado, investe em estruturas que auxiliam neste crescimento e promovem a profissionalização da prática.

Todos os anos, as estatísticas surpreendem. Andar de bicicleta se tornou um estilo de vida.  Mais que isso, as pessoas se uniram e criaram uma comunidade. Quando falamos de ciclismo, agora, falamos sobre amizades, cicloviagens em conjunto, torneios em grupo, entre outras atividades.

Por que cresceu o número de pessoas que pedalam mesmo na crise

mountain bike

Enquanto pedalamos, fugimos dos problemas. A liberação de serotonina, conhecida como hormônio da felicidade, provoca a sensação de bem-estar. Por um momento, nos sentimos realmente felizes.

A crise do Covid-19 é o melhor exemplo que temos para explicar como o ciclismo pode ajudar. Quando tudo começou, ainda em 2020, aconteceu mais um salto no número de praticantes

De acordo com uma pesquisa feita pela Associação Brasileira do Setor de Bicicletas, as vendas de bike aumentaram 50% quando comparado ao mesmo período do ano anterior. 

Segundo outros dados obtidos pela Aliança Bike, em julho de 2020, as vendas de acessórios para pedalar subiram mais de 118%. Em uma época de tantas restrições, as pessoas veem o ciclismo como uma alternativa para ser livre e viver emoções.

Além do mais, é uma atividade extremamente prazerosa e relaxante, feita ao ar livre. Portanto, é uma forma de desestressar, sem ter que correr riscos. E o melhor, você pode pedalar sozinho, que a emoção permanece.

Quais as principais vantagens de trabalhar com ciclismo

Como já dito, trabalhar com ciclismo é uma oportunidade de unir o amor por pedalar a uma das modalidades que mais cresce. São inúmeras possibilidades de atuação dentro do setor. Ciclista profissional, treinador de ciclocross, professor de ciclismo indoor, entre outras.

Para mais, é uma das tendências para os próximos anos. Para você que é um profissional de educação física, além de permitir expandir a sua área de atuação, ainda cria novos segmentos de mercado.

Existe público e existe demanda. A participação de um especialista no setor das bikes pode trazer ainda mais profissionalismo para o campo e melhorar a satisfação dos praticantes. Afinal, nada melhor do que um expert para orientar e tirar dúvidas.

Como trabalhar com ciclismo

Gary West, técnico de ciclista de pista, com a campeã olímpica Anna Meares – Créditos | Clearinghouse for Sport, Australian Sports Commission

Infelizmente, são pouquíssimas as universidades que possuem o ciclismo na grade curricular. Para as que têm, normalmente, é ministrado de uma forma superficial, sem aprofundamento. Logo, o futuro profissional saí da faculdade somente com o básico.

Neste sentido, para quem quer atuar na área, é necessário buscar uma forma de se especializar e criar um diferencial competitivo. Uma boa alternativa para isso é investir em um curso de capacitação para complementar a sua formação.

Como vimos ao longo deste artigo, o mercado de ciclismo é um dos que mais cresce. Para trabalhar na área, é necessário ser um educador físico e possuir experiência na modalidade. Experiência ao qual pode ser obtida por meio de cursos, participação em eventos e palestras.

Deixamos de indicação o nosso próprio curso: Treinador de Ciclismo. É totalmente online, com bônus de aulas ao vivo e modelos de planilha para facilitar a sua rotina.

As aulas são ministradas pelo André. Com mais de 20 anos de experiência e uma certificação concedida pela USA Cycling, federação de ciclismo norte-americana, ele é um especialista no assunto.

É uma ótima oportunidade tanto para quem está começando, quanto para quem já conhece mais do segmento. Confira!

6 benefícios do ciclismo indoor que o tornam a solução perfeita para o cenário atual

Os benefícios do ciclismo indoor vão além do ganho de condicionamento físico. A modalidade oferece uma maneira divertida e intensa de se exercitar, sem sair de casa. Entenda!

Para quem ama pedalar e busca uma forma de treinar em casa, sem riscos, o ciclismo indoor é a opção perfeita. A modalidade une ambas as características em uma solução dinâmica, divertida e que entrega ótimos resultados.

Por causa disso, é crescente o número de praticantes no Brasil e no mundo, principalmente durante a pandemia. Você pode fazer as aulas em uma academia ou mesmo em casa, e a prática traz inúmeros benefícios para a saúde física e mental. A seguir, confira alguns desses benefícios. Acompanhe!

Condicionamento Físico

ciclismo indoor equipamentos

Engana-se quem pensa que devido ao fato da bicicleta ser estacionária, o ciclismo indoor oferece menor grau de intensidade. Pelo contrário, quando orientado por um profissional qualificado, traz os mesmos resultados (ou até superiores) de um treino ao ar livre.

Isso porque podem ser utilizados pesos, variações nos movimentos e diferentes formatos de treino para simular o percurso e os desafios encontrados. Assim como outras atividades físicas, melhora o condicionamento físico e a resistência.

Além disso, por mesclar um exercício aeróbico de média-alta intensidade, auxilia na circulação sanguínea e na respiração. No primeiro caso, durante a prática, os esforços para realizar os movimentos promovem melhor circulação do sangue pelo corpo.

Como resultado, no segundo caso, o pulmão funciona de forma mais eficiente e distribui oxigênio com mais velocidade para o resto do corpo. O coração bombeia o sangue no ritmo correto, reduzindo as chances de um ataque cardíaco. A distribuição de nutrientes pelas células acontece de forma mais assertiva, melhorando o funcionamento do corpo como um todo,  entre outras vantagens.

Neste momento, é fundamental estar vestido com roupas confortáveis, ideais para a prática, para evitar o superaquecimento do corpo e aproveitar ao máximo o seu treino.

Emagrecimento

Crédito | Globo Esporte

Por ser um exercício de alta intensidade, o ciclismo indoor favorece a queima de gorduras. Quando executado de forma correta e com uma dieta balanceada, a queima se torna um déficit calórico que causa o emagrecimento.

Segundo Charlie Seltzer, médico da obesidade e especialista em exercícios, além dos ganhos/perdas em medidas, a prática auxilia no controle da pressão, dos níveis de insulina e da frequência cardíaca.

Para mais, acelera as funções metabólicas, o que por si só, já auxilia no processo de emagrecimento. No entanto, uma coisa precisa ficar clara. No ciclismo indoor, a perda de peso acontece de forma gradual, perdendo gordura de todo o corpo.

Logo, para quem busca, por exemplo, reduzir gordura localizada, pode não ser a melhor das opções. Por outro lado, para quem quer melhorar a resistência e tonificar os músculos da parte inferior, como a panturrilha, os glúteos e a coxa, a modalidade será uma ótima escolha.

Praticidade e segurança

ciclismo indoor rolo de treino

Em qualquer lugar, desde que com os equipamentos corretos, é possível praticar o ciclismo indoor. Faça dia, faça sol. Independente da temperatura, nada impedirá você de treinar. Somente a sua vontade.

Uma das maiores vantagens da modalidade é justamente a praticidade. Você pode se exercitar com o auxílio de uma bicicleta ergométrica (as tradicionais de academia), com uma bike inteligente ou com a sua própria bicicleta. No último caso em específico, é preciso apenas investir em um modelo de rolo que se enquadre aos seus objetivos.

Além do mais, se você já tem a sua bike, os custos reduzem drasticamente. Caso opte por esse formato, uma recomendação é investir em uma sapatilha para ciclismo para evitar acidentes.

Paralelamente, outro ponto que chama atenção é a questão da segurança. Tanto fatores externos, risco de furto, colisões etc, como internos, chances de cair, de se machucar, entre outros. Tudo isso pode ser evitado.

No cenário da pandemia, de isolamento social, ambos os fatores, praticidade e segurança, se unem em uma solução ideal para o bem-estar físico e emocional. Com o ciclismo indoor, você pode continuar pedalando, sem se pôr em risco. 

Aulas animadas

Crédito | Gira Junto

Para deixar tudo ainda mais divertido, é muito comum que o ciclismo indoor seja combinado com músicas animadas e dinâmicas envolventes. O objetivo é trabalhar a mentalidade para auxiliar no melhor desempenho durante a prática.

Em virtude disso, a modalidade é uma das favoritas para ciclistas profissionais e triatletas que querem continuar treinando, ao mesmo tempo em que descansam e tentam coisas novas. Mas nada impede, também, que um ciclista amador ou só alguém que queira praticar exercícios, opte pelo ciclismo indoor.

Como vimos até aqui, a prática entrega ótimos resultados. E a melhor parte, qualquer pessoa pode participar e sentir os benefícios.

Sensação de bem-estar e felicidade

trabalhar-com-ciclismo-indoor

Quando nos exercitamos, liberamos hormônios na corrente sanguínea responsáveis pela sensação de bem-estar físico e mental. Hormônios aos quais podem auxiliar no combate a depressão, a insônia, crises de pânico, ansiedade, entre outros distúrbios da mente.

Para além, já existem pesquisas que apontam que a prática constante pode ajudar a:

  • melhorar a memória e a concentração;
  • aumentar a disposição física e mental;
  • fortalecer o sistema imunológico;
  • aliviar dores e tensões emocionais;
  • elevar o humor.

Com o ciclismo indoor você faz tudo isso sem riscos e de onde você quiser. Tudo isso com poucos equipamentos.

Ser orientado(a) por um profissional qualificado

O ciclismo indoor deve ser orientado por um profissional qualificado. Ou seja, alguém formado em educação física, com expertise na área. Mesmo para quem treina por conta própria ou em uma academia, é fundamental o acompanhamento para evitar o risco de lesões.

Além do mais, somente o profissional é capaz de montar uma ficha de treino que respeita a sua individualidade, ao mesmo tempo em que traz resultados. É muito comum que as pessoas busquem por vídeos prontos na internet, totalmente genéricos, que mais trazem problemas do que ajudam.

Como vimos ao longo deste artigo, os benefícios do ciclismo indoor contribuem tanto para a saúde física quanto mental. Melhoria no condicionamento físico, emagrecimento, praticidade e segurança e aulas animadas são algumas das suas principais vantagens. Isso sem falar na sensação de bem-estar e felicidade após a prática, juntamente a ser orientado(a) por um profissional qualificado.
Se você quiser treinar ciclismo indoor seja na academia ou em casa, com orientação profissional e aulas ao vivo e gravadas, te convido a conhecer a plataforma Flow Cycle. Acesse!

Como treinar ciclismo indoor: escolha o treinamento ideal para você

Você sabe quais são os principais formatos para treinar ciclismo indoor? Veja o que é preciso para começar a treinar e aproveitar os benefícios da modalidade. Confira!

Treinar ciclismo indoor é uma oportunidade tanto para atletas quanto para iniciantes de continuar pedalando, à medida que encontram uma forma segura de se exercitar. A modalidade pode ser executada em casa, sem riscos e de forma prática.

Por isso, é crescente o número de praticantes nos últimos meses. Ainda mais em um cenário de tantas restrições e limitações. Com a sua bicicleta e um rolo de treino, já é possível se exercitar e sentir seus benefícios.

Pensando nisso, falaremos a seguir quais são os equipamentos necessários para treinar ciclismo indoor, quais são as principais vantagens e como treinar. Acompanhe!

O que é o ciclismo indoor

beneficios-ciclismo-indoor

O ciclismo indoor é a modalidade de treino realizada com uma bicicleta estacionária ou rolo de treino. Com o uso de carga na bicicleta e diferentes tipos de movimentos, o objetivo da prática é simular os mesmos desafios de um treino ao ar livre.

Devido à pandemia, da necessidade de isolamento social, aumentaram o número de praticantes. Isso porque o treino de ciclismo indoor une o amor por pedalar a uma modalidade que traz ótimos resultados.

Tanto para a saúde, já que a prática confere resistência e melhora o funcionamento do sistema cardiorrespiratório. Quanto à rotina de treino, visto que pode trazer os mesmos resultados de um treino ao ar livre e ser customizado para cumprir determinadas necessidades.

A melhor parte, qualquer um pode praticar. Desde quem está começando a pedalar agora a um triatleta. Cabe ao educador físico prescrever uma rotina de treinos ideal para cada um deles.

Quais são os equipamentos necessários para treinar ciclismo indoor

ciclismo indoor rolo de treino
Rolo de treino para praticar ciclismo indoor – Créditos | Cia do Pedal

Uma das maiores vantagens de treinar ciclismo indoor é a praticidade. Não é preciso muitos equipamentos para começar a praticar. Basta uma bicicleta ergométrica ou um rolo de treino para adaptar a sua própria bike.

Quanto aos acessórios, a maior parte deles serve para aumentar o desempenho. Por exemplo, a sapatilha de ciclismo evita que o pé derrape. Já as roupas especiais de ciclismo, como a bermuda de ciclismo, trazem maior conforto para a prática. 

O mesmo vale para o ventilador. Não é necessário, mas pode ajudar. Para evitar o superaquecimento do corpo e melhorar o aproveitamento do treino, o equipamento pode ser um ótimo aliado. Ainda mais para quem pratica em casa, onde a circulação de ar normalmente deixa a desejar.

Quais são as principais vantagens de treinar ciclismo indoor

bicicleta estacionária

Como dito anteriormente, nos últimos meses, aumentou o número dos praticantes de ciclismo indoor. Indicado para quem quer melhorar a sua capacidade cardiovascular enquanto faz um exercício dinâmico, a modalidade é uma das opções favoritas.

Devido à alta carga de intensidade, quando executado corretamente, o praticante consegue perceber os resultados em pouco tempo. A seguir, separamos as principais vantagens de treinar ciclismo indoor para que você compreenda de vez como a modalidade pode ser uma aliada na sua rotina de treinos.

Otimizar o tempo

Tem somente alguns minutos disponíveis por dia ou, até mesmo, um horário que não é muito bom para treinar? Está tudo bem! No ciclismo indoor, você pode se exercitar dentro da sua casa, da forma que for melhor para você. O clima não é um problema, a intensidade do circuito, nem nada parecido.

Quando orientado por um profissional qualificado, os exercícios podem ser combinados de modo a otimizar seu tempo. Não se preocupe, seus resultados não serão prejudicados por causa disso!

Sentir seguro

Segurança para não se machucar, segurança contra perigos naturais e segurança contra perigos humanos. Com o ciclismo indoor, você pode se exercitar sem riscos.

Para quem está começando, não corre o risco de desequilibrar ou causar quaisquer outros tipos de acidente. Antes de ir aos desafios do treino ao ar livre, você pode se acostumar com a bicicleta e entender como funciona.

Além disso, você treina de onde quiser, quando quiser, sem ter que se preocupar se a iluminação está suficiente, com cascalho no chão, entre outras problemáticas que comprometem o seu desempenho.

Isso sem falar que você não corre o risco de sofrer/causar um acidente de trânsito, ser furtado ou, até mesmo, assediado ou assediada pela roupa que você escolheu para treinar. Existem também as questões referentes à pandemia. Você pode praticar sozinho, em casa, sem precisar se expor e expor quem você ama.

Combinar com o treino outdoor

Quer potencializar ainda mais os seus resultados? Que tal aumentar o volume do seu treino ou combinar com outras modalidades fora da bicicleta?

Com uma música animada, alterne o ritmo dos seus exercícios. Use os pesos da bicicleta ergométrica ou das marchas a seu favor. Teste diferentes tipos de rolo de treino que permitem a você trabalhar com inclinações variadas ou, até mesmo, só aumente o seu tempo de dedicação diária.

Já no segundo caso, outra opção é, após a prática, combinar com uma rotina de exercícios. Com a orientação de um personal trainer, para evitar lesões, prepare um treino em casa para complementar o que você já fez. Use halteres, o peso do seu próprio corpo ou adaptações simples com itens do cotidiano.

Como treinar ciclismo indoor

Créditos | LG

O objetivo do treino indoor é simular as mesmas condições de um treino ao ar livre. Para isso, adapte a sua rotina de exercícios para simular morros, condições climáticas, dias quentes e outros desafios que você pode encontrar. Assim como no treino tradicional, na modalidade, também existem diferentes formatos de treino.

Treino prescrito pelo seu treinador

A partir dos seus objetivos e do que você pretende alcançar, o seu treinador criará uma rotina de exercícios adequada. Com uma planilha de treinos pronta, você se exercita quando quer, mas com as recomendações e indicações de quem entende do assunto.

Neste sentido, é fundamental procurar um educador físico, com registro no Conselho Regional de Educação Física (CREF) e com conhecimento na área. Um profissional capacitado é garantia de bons resultados, sem risco de lesões.

É o melhor formato para quem tem objetivos esportivos. Seja para treinar para provas de ciclismo ou Mountain Bike (outdoor). Seja para complementar a rotina de treinos, tudo pode ser adaptado. Você é o único responsável pelo seu sucesso.

Aulas ao vivo ou gravadas

Exemplo de aula Gravada disponível na plataforma Flow Cycle

Para quem quer emagrecer, ganhar condicionamento físico ou só fazer uma aula mais divertida, as aulas ao vivo ou gravadas são uma ótima opção. Com um treino igual para todos que assistem e ministrada por um profissional na área, o formato lembra as aulas de academia.

Até mesmo para quem está treinando profissionalmente, é uma ótima opção. Isso porque permite descansar, à medida que os treinos continuam.

Como vimos ao longo deste artigo, treinar ciclismo indoor permite unir o amor por pedalar a uma modalidade repleta de benefícios. Entre as principais vantagens, está a otimização do tempo, maior segurança e a possibilidade de combinar com o treino outdoor para potencializar os resultados. Para isso, existem dois formatos mais comuns, os treinos prescritos pelos treinadores ou as aulas ao vivo.
Para você que quer começar a treinar em casa, mas ainda não sabe por onde começar, deixamos de indicação a nossa Planilha de Treinos para Mountain Bike, Ciclismo de Estrada ou Indoor. Confira!

O que levar em uma cicloviagem

O que levar em uma cicloviagem vai depender do tipo de cicloturista que você é, seu destino, o percurso e o clima. Entenda a seguir e veja como se organizar.

O que levar em uma cicloviagem varia de pessoa para pessoa. Para alguns, somente o mínimo é suficiente. Para outros, artigos e ferramentas para tornar o passeio ainda mais confortável.

Independente da sua escolha, lembre-se sempre: ao viajar de bike, normalmente, nós precisamos levar o peso dos nossos excessos. Portanto, escolha com sabedoria. Evite coisas demais ou itens desnecessários. Priorize o que é essencial e que faça sentido para a sua viagem.

Pensando naqueles que vão se aventurar pela primeira vez e não sabem o que levar, preparei um guia para guiar você ao montar a sua bagagem. Confira a seguir! Caso prefira assistir este conteúdo em vídeo, é só clicar no botão abaixo.

Quais fatores influenciam no que levar em uma cicloviagem

Costumo dizer que o que você vai levar na sua cicloviagem depende de quatro fatores: estilo de viagem; percurso; condições climáticas e destino. Se você quer uma aventura mais minimalista, levará o mínimo possível, sendo os itens descartáveis a sua prioridade.

Se você busca conforto, alguns artigos podem fazer toda diferença, ainda que não seja essencial. Além desses estilos, existe o ciclistas autossuficiente. Para economizar e não depender de nada e nem ninguém, ele ou ela leva tudo o que é indispensável. Em contraponto, o peso da carga é maior.

Depois disso, vem a questão do percurso e das condições climáticas. Para algumas rotas, é preciso levar equipamentos. Se for um local sem estrutura, é fundamental levar o básico, como barracas, itens de cozinha etc. 

Da mesma forma, o seu vestuário vai depender do clima. Não tem como fugir das roupas de frio e das de calor caso seja necessário. Por fim, o destino. Cada destino exigirá de você um tipo de roupa e determinados itens. Não se submeta a uma situação desconfortável sem necessidade!

Como separar os itens por categoria

Créditos | Velosurance

A melhor forma de garantir que você vai levar tudo o que é preciso para a sua cicloviagem, é se organizando. Crie listas e planeje-se. Ainda que alguns ciclistas não deem o devido valor, é um passo importante para levar tudo o que é essencial e não deixar nada importante para trás.

Como forma de me organizar antes de viajar, ao longo dos anos, desenvolvi uma metodologia própria. Separei tudo o que levo em quatro categorias básicas, que vou apresentar a seguir.

Categoria 1 – O Peso da Segurança

O Peso da Segurança são os itens que a gente espera não usar, mas precisa levar por segurança. São itens de primeiros socorros, kit de manutenção, entre outros. No meu check-list, separo:

  • Farol dianteiro e pisca traseiro (para pedalar de noite);
  • Kit remendo / camara de ar (para remendar o pneu caso necessário);
  • Bomba de ar ou de CO² (para encher o pneu remendado);
  • Kit básico de ferramentas (para fazer manutenções de urgência);
  • Extrato de corrente (*depende da região onde você vai pedalar);
  • Kit básico de primeiros socorros (considere um kit para situações de urgência. Não se esqueça dos remédios de uso recorrente).

Categoria 2 – O Peso da Necessidade

cicloturismo

O Peso da Necessidade é tudo aquilo que você vai levar e vai usar. São as suas roupas, seus equipamentos e seus documentos. Vale mencionar que no kit de higiene, separo todos os itens de higiene básica. Uma dica é transportar os produtos em potes menores.

Para vestuário, mesmo que você não utilize roupas de ciclismo, é interessante separar roupas para o pedal, pós pedal e para uso comum. Eu costumo separar duas roupas para pedal. Utilizo uma enquanto a outra está para lavar. Porém, já vi casos de pessoas que levam só uma. Desde que coloque para secar assim que você chegar, é possível.

Ao separar as suas roupas, não se esqueça de conferir as condições climáticas e os dias de viagem. Resumidamente, na Categoria 2, eu levo:

  • Kit de Higiene (shampoo, sabonete, escova, pasta-de-dente, papel higiênico etc);
  • Vestuário (roupas de pedal, pós-pedal e uso diário);
  • Kit de proteção (protetor solar, labial, repelente e óculos escuro);
  • Telefone e documentos de identificação;
  • Dinheiro (espécie, cartão, entre outros);
  • Sandálias ou chinelos.

Categoria 3 – O Peso da Diversão

Livro de catedral a catedral - caminho da fe

O Peso da Diversão são os itens que não são necessários, contudo, conferem maior diversão e conforto à nossa viagem. No meu caso, gosto de levar eletrônicos para produzir conteúdo e documentar a minha rota. 

Aqui, tudo vai depender do seu gosto. Nesta categoria, você pode colocar tudo o que não é essencial, todavia, faz sentido para você. Na minha lista está:

  • Máquina fotográfica e aparelhos eletrônicos;
  • Pilhas, baterias e carregadores;
  • Bloco de anotação e lápis;
  • Livro.

Novamente, só tome cuidado com o excesso de bagagem. Evite levar coisas que você não vai utilizar. Para os cicloturistas minimalistas, que querem levar somente o básico, esta categoria é dispensável.

Categoria 4 – O Peso da Economia

bikepacking

O Peso da Economia é para quem quer economizar e levar para a cicloviagem tudo o que é necessário para ser autossuficiente. Ou seja, você leva para o passeio tudo o que será preciso durante a sua viagem, desde a alimentação até os itens de sobrevivência.

Na minha lista está:

  • Barraca;
  • Isolante térmico;
  • Saco de dormir (depende do clima da região);
  • Alimentação;
  • Equipamentos para cozinhar;
  • Talheres;
  • Entre outros

O que levar em uma cicloviagem

Crédito | ISPO

Nos tópicos anteriores, trouxe para você uma base com tudo aquilo que considero necessário. É interessante que você adapte os tópicos conforme os seus objetivos e os seus interesses

Eu, André, já fiz uma viagem mais confortável, como também, autossuficiente. Hoje em dia, gosto de levar o mínimo necessário, com o adicional dos meus eletrônicos para produzir conteúdo.

Como vimos ao longo deste artigo, o que levar em uma cicloviagem vai depender de três fatores. O tipo de cicloturista que você é, o percurso e as condições climáticas e o destino. As três variáveis afetam a quantidade da carga e o tipo de bagagem.

Para facilitar o processo, você pode seguir as minhas quatro categorias de separação de itens.
Como forma de deixar a sua viagem ainda melhor e facilitar na sua organização, convido você a baixar o meu Checklist do Cicloturismo. Espero que ajude!

Bikepacking ou alforjes: um comparativo para o cicloturismo

Bikepacking ou alforjes, qual escolher para a minha cicloviagem? Entenda o que é cada um deles, veja as vantagens e desvantagens, além de um comparativo entre as opções.

Decidiu que quer planejar a sua primeira cicloviagem, separou os destinos, a bagagem e tudo o que é preciso, mas não sabe como guardar sua carga? O bikepacking ou o alforje pode ser a opção perfeita para você. Cada um deles possui vantagens e desvantagens que valem a pena ser analisadas antes de decidir.

Em um, você monta a sua carga de acordo com a sua demanda. Não há excesso de peso e os prejuízos para a aerodinâmica são mínimos. No outro, você pode levar mais coisas, é mais prático de organizar e mais barato. Porém, interfere no seu equilíbrio.

Para além dessas diferenças, existem várias outras que apresentarei ao longo deste artigo. Acompanhe! Caso queira assistir este conteúdo em vídeo, clique na caixa abaixo.

O que é o Bikepacking?

bikepacking
Créditos | Pixabay

Bikepacking ou mochila nas costas é uma nova modalidade de cicloviagem que, a cada dia, se torna mais popular por causa da sua funcionalidade. Nela, pequenas bolsas e equipamentos são acoplados na bicicleta de modo a afetar o mínimo possível da aerodinâmica.

É a opção perfeita para quem busca um estilo de viagem mais minimalista. Ou seja, levar somente o necessário, no menor espaço disponível e pesando o mínimo .Para isso, são utilizados diferentes tipos de bolsas que variam conforme o objetivo. Vale lembrar que você pode utilizar uma única mochila, como pode, também, utilizar o kit completo.

A seguir, vou explicar a diferença entre os modelos.

Marimbondo ou Seatbag

Bolsa de Selim Journey G Northpak

O Marimbondo ou Seatbag é uma bolsa colocada no selim da bicicleta (embaixo do assento), podendo prolongar até a roda e com capacidade de armazenamento variada. Para o seu uso, é recomendado que a distância entre o selim e a roda traseira seja de, no mínimo, 25 centímetros. No canote, de 16 centímetros.

É fundamental que o compartimento esteja bem fixado para evitar que a sua bicicleta balance enquanto pedala. Não se esqueça, também, de verificar se o compartimento é a prova d’água ou só resistente à água para evitar acidentes.

Bolsa de Quadros ou Frame Bag

jalapão bikepacking
Bolsa de quadro ao centro. Foto: Edinho Ramon

Feita sob medida (mais recomendado) ou em tamanho universal, a Bolsa de Quadros, como o próprio nome já indica, é planejada para ocupar os três quadros da bike. É ideal para armazenar objetos mais pesados, visto que mantém o centro de gravidade da bicicleta mais baixo.

Quando for encomendar a sua mochila, cuidado com zíperes frágeis, ainda mais considerando o que você vai levar. Além do mais, priorize modelos com mais de um bolso para facilitar a sua organização.

Tanque ou Toploader

Bolsa de quadro long way Northpak

Uma variação da Bolsa de Quadro, o Tanque ou Toploader é uma bolsa fixada no tubo superior. Suas maiores vantagens é a alta capacidade de armazenamento, juntamente ao acesso facilitado.

Por isso, é indicada para guardar o celular, carteira, chaves, ferramentas e outros equipamentos pequenos utilizados com mais constância. 

Bolsa de Guidão

Porta volume de guidão Apidura

Assim como os outros modelos de bolsa para bikepacking, a bolsa de guidão, que fica no guidão da bike, possui variedade em formatos, estilos e tamanhos. O indicado é priorizar uma carga mais leve, além de patches anti-abrasão para evitar danos nas marchas.

Para mais, valorize modelos que possuem um sistema de fixação para barracas de camping. Pode ser útil para alguns tipos de viagem.

Sacos para periféricos e acessórios

Além dos quatro modelos tradicionais, existem outros tipos e formatos de mochilas que podem ser customizados conforme o interesse do viajante. Novamente, o ponto forte do bikepacking é a sua capacidade de adaptação de acordo com a necessidade.

Quais são as vantagens e desvantagens do Bikepacking

Com a opção de ser customizado sob demanda, a maior vantagem e a desvantagem está, justamente, nisso. Você customiza a bolsa conforme a sua necessidade, logo, não há gasto de verba desnecessária. Porém, a personalização faz com que as bolsas fiquem mais caras, ainda mais quando comparadas ao modelo universo.

Da mesma forma, ao mesmo tempo que ocupa menos espaço, o local disponível para guardar as suas bagagens é menor. Paralelamente, as mochilas geram variedade nas formas de usar, sendo uma ótima aliada na hora de dividir a carga. Contudo, é preciso um cuidado a mais quando for organizar a bagagem. Resumidamente:

Vantagens

  • Ocupa menos espaço;
  • Mais aerodinâmica durante a sua viagem;
  • Variedade de combinações e modelos;
  • Boa divisão de carga.

Desvantagens

  • Difícil de desmontar o conjunto;
  • Menos espaço disponível;
  • Exige melhor organização da carga.

O que são os Alforjes?

alforjes

Modalidade tradicional para quem pratica o cicloturismo, os alforjes são as famosas bolsas acopladas ao bagageiro. Disponível em modelos traseiros ou dianteiros, é a escolha perfeita para viajantes que levam mais bagagens.

Bem como o Bikepacking, possui variedade em modelos e sistemas de fixação. Por exemplo, pode ser uma bolsa única ou um saco tanque impermeável. Como pode ser um equipamento compatível com alças, que vira uma mochila.

Quanto ao sistema de fixação, pode ser velcro ou encaixe. Tudo vai depender da capacidade da sua bagagem.

Quais são as vantagens e desvantagens do Alforje

Ao mesmo tempo que cabe mais bagagem, ocupa mais espaço e gera maior variação na aerodinâmica. Quando comparado ao bikepacking, sua maior vantagem é a facilidade de organizar a sua bagagem, a praticidade ao mover com o que está lá dentro e o preço. Porém, também existem desvantagens. Em síntese:

Vantagens

  • Grande capacidade para armazenar carga;
  • Fácil de tirar carga e colocar mais;
  • Fácil de organizar a bagagem antes, durante e após o trajeto;
  • Mais barato.

Desvantagens

  • Ocupa mais espaço na bicicleta;
  • Gera maior alteração no equilíbrio, uma vez que modifica o centro de gravidade da bike e modifica a aerodinâmica.

Bikepacking ou Alforjes, qual escolher?

Antes de escolher a forma de armazenar a sua bagagem, você precisa entender qual tipo de cicloturista você é e qual tipo de viagem você quer fazer. Será uma viagem auto suficiente ou confortável? Você prefere uma viagem mais minimalista ou repleta de recursos? A partir daí, já temos um norte.

Depois disso, é preciso considerar o tamanho da carga. Nem sempre, o que você quer levar, cabe nas mochilas de Bikepacking. Além disso, existe o lado financeiro. As bolsas são mais caras do que um alforje. Em contraponto, nada impede que você comece com um alforje e compre as bolsas aos poucos.

Nada impede, também, que você mescle as duas opções. Ou, até mesmo, outros formatos que não falei aqui, mas são utilizados com ciclistas. Só tome cuidado. Uma dica: quanto mais espaço a gente tem, maior é a tendência de levar coisas desnecessárias. Não faça isso!

Portanto, quando for escolher qual das duas modalidades, considera o que você quer investir, como quer começar e qual a melhor forma para você.

Como vimos ao longo deste artigo, bikepacking ou alforjes, depende. Depende do tipo de viajante que você é, o que levar e os seus objetivos. Cada uma das modalidades traz vantagens e desvantagens. Inclusive, eu diria que é até difícil compará-las.  Portanto, escolha a opção que esteja de acordo com as suas prioridades.
Esse conteúdo faz sentido para você? Deixo de indicação para download uma série de ebooks que fiz sobre o cicloturismo. Vai ajudar você com a sua viagem.