Cicloturismo em Guararema (SP)

0
470
Foto: acervo pessoal Gabriel Hansen

Por Gabriel Hansen

Guararema é uma cidade do interior de São Paulo, cortada pelo rio Paraíba do Sul e conhecida pela sua produção de orquídeas. Depois de ver o relato do Antigão em seu blog (pneunaestrada.blogspot.com), resolvi aproveitar o domingo para fazer esta pequena cicloviagem, partindo da estação Estudantes da CPTM.

Acordei cedo, às 5:30h mas só saí da cama umas 6. Já havia deixado tudo pronto na véspera, então foi basicamente levantar, tomar café e partir. 2h depois chego na estação Estudantes, onde um grupo de ciclistas se juntava para fazer o mesmo trajeto. Como eles ainda esperavam muita gente chegar e eu queria aproveitar a brisa fresca para pegar a estrada, decidi continuar em voo solo.

O caminho, de aproximadamente 22km, é muito gostoso de ser feito. Na ida as descidas predominam, inclusive uma serrinha gostosa de descer. Enquanto descia, pensava: “Ai, ai, isso me espera na volta”. Paisagens interioranas, hortas e o melhor: cheiro de mato.

Foto: acervo pessoal Gabriel Hansen
Foto: acervo pessoal Gabriel Hansen

Chego em Guararema após 1:30h de pedalada. Clima agradável, cidade limpa, organizada. Um prazer pedalar por suas ruas. O rio Paraíba do Sul é muito bonito e o parque que a cidade construiu sobre ele, com pontes e ilhas, só contribui para o encanto.

Eles estão a todo vapor preparando a cidade para o Natal, e sugiro aos carnavalescos que adoram depenar pavões, venham conhecer Guararema: eles usam garrafas pet com tamanha criatividade que só chegando muito perto para perceber que se trata de material reciclado. O resultado é impressionante.

A maioria das linhas férreas e estações do país viraram ruínas. Em algum momento inventaram que o transporte por caminhões era o futuro, e hoje pagamos mais caro por tudo também por causa do custo do transporte por caminhões. A estação ferroviária de Guararema está muito preservada. Fico feliz em ver o respeito à história. Há uma bela locomotiva de bitola larga à vapor da Central do Brasil. Me recuso a chamar aquela belezura imponente de maria fumaça!

Depois de um lanche, gatorade e sorvete, começo a “operação subida” pra Mogi. Quando chego no trevo, vejo o grupo que havia encontrado na estação, chegando só naquela hora… demoraram pra sair, eu ia ficar louco!

A volta foi uma delícia, venci a serrinha com algumas paradas para descanso, mas sem sofrimento. A minha experiência no Caminho do Sol me preparou bastante, principalmente no gerenciamento de minha energia. Sem pane seca, sem cãibra, sem exaustão. Claro que o clima ameno ajudou, mas a pedalada disciplinada fez toda a diferença. Tanto que ainda tive fôlego para pedalar na ciclofaixa quando cheguei em São Paulo!

No final, um domingo agradável e mais uma cidade na lista das pedaladas. Que venham outras cicloviagens!

Domingo, 23 de novembro de 2014
Km pedalados: 54km
Custos: R$ 6 em metrô e trem R$ 14 em coxinha, picolé, gatorade e água
Baixas: nenhuma.

Visitem meu blog: bikedemia.blogspot.com

[Nota do blog:] se você vai pedalar por Guararema e quiser se hospedar pela cidade, pode consultar opções neste link

Dicas de Hospedagem nesse Roteiro

Você pode reservar hotéis, pousadas, hostels e até casas de hóspedes através do Booking.com. Assim terá muitas opções para comparar e escolher a que vai te atender da melhor forma.

Envie você também a sua história

ATÉ ONDE VOCÊ FOI é o maior banco de histórias e experiências sobre a bicicleta e o ciclismo da internet brasileira. Para conhecer o projeto e enviar a sua história basta clicar aqui

Faça Cicloturismo com segurança

Tão bom quanto viajar de bike é retornar em segurança para planejar os próximos roteiros! Somos comprometidos com a segurança no cicloturismo e disponibilizamos 2 artigos especiais pra você conferir antes de colocar a bike na estrada:

COMPARTILHAR
Artigo anteriorCicloturismo: Caminho de Santiago de Compostela de Bicicleta
Próximo artigoAtacama e Estrada de La Muerte – Um Sonho de Liberdade
Até Onde VOCÊ Foi? é um projeto do blog que divulga histórias inspiradoras das pessoas e suas bicicletas. As primeiras pedaladas, sua última viagem de bike e muito mais. O texto é de autoria do leitor indicado no início do post, e as informações e opiniões contidas são de responsabilidade do mesmo. Que tal compartilhar sua história com milhares de leitores? Basta enviá-la para contato@ateondedeuprairdebicicleta.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA