Cicloviagem: Estrada Velha de Santos

4
8
Foto: Acervo pessoal João Rodrigo Campos

Por João Rodrigo Campos

Estrada Velha de Santos e o Caminho do Mar (SP-148) são roteiros que há muitos anos desejava fazer, mas sempre ocorria um compromisso de trabalho, acadêmico ou pessoal que me impedia de percorrer!

Teria alguns dias de folga, e tratei de agendar gratuitamente minha presença na Reserva do Parque Caminho do Mar via internet. Tratei de fazer a manutenção da bicicleta antiga, pois a viagem inspirava realizar cicloturismo “a moda antiga”: bicicleta antiga, mochila, máquina fotográfica… Fiquei feliz, apesar de ter feito muitas expedições de longa distância em bicicleta, essa viagem me tocou pessoalmente muito mais pois tenho ligações de lembranças familiares com a Serra do Mar.

Estrada Velha de Santos
Cicloviagem na Estrada Velha de Santos. Foto: Acervo pessoal João Rodrigo Campos

História familiar/pessoal

Sou descendente de italianos que emigraram para o Brasil na década de 30 em embarcação que saiu da região sul da Itália (Calábria). Avó Apparecida Paradella Campos sempre informou o quanto foi maravilhoso utilizar a Estrada Velha de Santos para ir à praia numa Perua DKW-Vemag Vemaghet Verde na década de 60 toda a família (Avó, Avô, meu Pai e seus 2 irmãos)… Sempre gostei de praia e mesmo já tendo pedalado o litoral paulista, tinha o sonho de realizar essa experiência de percorrer a Estrada Velha de Santos com a bicicleta antiga italiana.

Estrada Velha de Santos

Esse roteiro mapeado têm caráter histórico, um forte trecho de Serra da Região da Mata Atlântica na divisa dos municípios de São Bernardo do Campo e Cubatão. Uma obra inaugurada em 1844, com monumentos datados desde 1922 e primeira estrada de rodagem da América Latina a receber pavimentação de asfalto, com forte traços da cultura portuguesa enraizados na arquitetura, engenharia, azulejos…

Roteiro distância total de 34 km

Iniciando de bicicleta na SP-148 Caminho do Mar por 8km de faixa sinalizada com compartilhamento de via entre pedestres/ciclistas/motoristas, depois entrada do Parque Caminho do Mar prende-se a bicicleta na guarita indo para a entrada da Estrada Velha de Santos percorrendo 18km (ida/descida e volta/subida) passando pela história à céu aberto através de muitas construções do século XX (Pouso Paranapiacaba – Casa de Pedras, Ruínas, Usina Henry Borden de Energia Elétrica, Belvedere Circular, Calçada do Lorena, Fonte de Água de 1931, Rancho da Maioridade, Padrão do Lorena, Pontilhão da Raiz da Serra e o Cruzeiro Quinhentista)… além de tudo isso também pode-se apreciar a Arte em Azulejos herança cultural que portugueses nos deixaram até hoje, sem falar nas 27 cachoeiras espalhadas por todo o percurso onde refresquei a alma após pedalar e caminhar. Na volta ainda há mais 8km de bicicleta pela SP-148 para chegar ao fim podendo se alimentar nos comércios de alimentos, e até mesmo um restaurante flutuante que instalaram no Reservatório Rio Pequeno!!!

Impressionante as emoções/lembranças que locais e viagens menores podem ativar na mente/coração. Mesmo tendo percorrido muitas viagens longas de bicicleta dobrável nova por centenas de quilômetros durante muitas semanas carregado com alforge + barraca… por incrível que pareça, a viagem que mais me marcou foi essa num trajeto “curto”, utilizando uma velha bicicleta com mochila num encontro interior muito profundo e intenso de paz e satisfação num domingo!!!

LINK (fotos, relato, mapa, altimetria…)=
http://joaozinhomenininho.blogspot.com.br/2014/04/brasil-estrada-velha-de-santos-caminho.html

Opções para Hospedagem em Santos – clique aqui

Cicloabraços
Joãozinho


ATÉ ONDE VOCÊ FOI É O MAIOR BANCO DE HISTÓRIAS E EXPERIÊNCIAS SOBRE A BICICLETA E O CICLISMO DA INTERNET BRASILEIRA. PARA CONHECER O PROJETO, ENVIAR A SUA HISTÓRIA E CONCORRER A PRÊMIOS BASTA CLICAR AQUI


COMPARTILHAR
Artigo anteriorPesquisa vai investigar os usos da bicicleta em Belo Horizonte
Próximo artigoO ciclista sem mãos
Até Onde VOCÊ Foi? é um projeto do blog que divulga - e premia - histórias inspiradoras das pessoas e suas bicicletas. As primeiras pedaladas, sua última viagem de bike, os treinos e competições, a descoberta de uma nova forma de se locomover pela cidade... O texto é de autoria do leitor indicado no início do post, e as informações e opiniões contidas são de responsabilidade do mesmo. Que tal compartilhar sua história com milhares de leitores e concorrer a prêmios? Acesse ateondedeuprairdebicicleta.com.br/voce e participe!

4 COMENTÁRIOS

  1. Incrível, João! Confesso que me bateu uma imensa vontade de fazer este trajeto com a minha dobrável. Me tocou pelo fato de 34 km terem tanto a contar e contagiar com tanta energia. Parabéns pelo texto, simples e delicioso. E é claro, parabéns pela viagem! Abraços

  2. Obrigado! Foi um prazer compartilhar essa experiência de dobrável aqui no AteOndeDeuPraIrDeBicicleta… interessante: depois de tantas distâncias grandes, equipamento de ponta, locais turísticos de “status”… mas justamente o mais simples, com bicicleta velha, apenas mochila e máquina fotográfica considero uma das minhas Top10 melhores viagens de bicicleta…
    contradição da lógica!!!

    cicloabraços – joaozinho

  3. Olá João, me tire uma dúvida por favor, é possível chegar em Santos por essa estrada? Onde devo pedir autorização para entrar de bike no parque? Obrigado, Abs.

DEIXE UMA RESPOSTA