Prazer em pedalar

1
601
Paraty - chegada da Estrada Real

 

Por Ricardo Meni

Vivemos em um tempo cujo cuidado com a saúde e com o corpo está em alta. Provavelmente, as academias nunca estiveram tão cheias como nos dias atuais. O mesmo pode ser visto pelas avenidas das cidades, com gente caminhando ou correndo. Além disso, esses cuidados com o corpo também fizeram com que muitos buscassem resultados, “milagrosos”, nas drogas e dietas para o emagrecimento.

Infelizmente, grande parte da população não quer sair de suas zonas de conforto. Ou seja, não querem sacrificar algo para obter os resultados almejados, ainda que eles demorem um pouco mais.

Tenho entendido que os resultados rápidos, podem esconder verdadeiras armadilhas para a saúde. Além disso, quando se trata de corpo e saúde deve-se ter em mente, que o melhor são os resultados que aparecerão com a perseverança e muita dedicação.

Há quatro anos eu poderia ser considerada uma pessoa obesa. Minha saúde já carregava consigo algumas marcas de possíveis enfermidades. O cansaço era imenso e atividades simples acabavam se tornando grandes desafios. Foi quando decidi tomar uma decisão em minha vida.

Logo comecei a caminhar todos os dias, correr pequenas distancias e a pedalar. Aliás, pedalar é uma das paixões que eu conservei dentro de mim, desde a minha infância. E quando o faço, sinto prazer e muito estímulo. Ao retornar de uma pedalada, sinto minha mente renovada.

A chegada em Paraty!
Foto: André Schetino

Também eliminei alguns hábitos alimentares, nocivos à saúde. O resultado foi a perda de 30 kg. Não foram só os quilos que perdi, mas muitas roupas se foram… Simplesmente saí distribuindo-as, entre aqueles que quiseram aproveitá-las. Isso também me fez muito bem.

É verdade que os resultados demoraram mais do que eu mesmo esperava. Mas minha perseverança e determinação me ajudaram, grandemente.

Hoje, pedalo grandes distancias, corro, mais ou menos, 13 km sem parar e minha saúde melhorou, assombrosamente. E como resultado, dessa maravilhosa experiência, já estou agora me preparando para correr, minha primeira, São Silvestre.

Percebi também, que outras pessoas ao verem o que aconteceu comigo, foram influenciadas, e, porque não dizer, desafiadas a fazerem o mesmo. Então, provavelmente não irei mais, para minha primeira corrida de São Silvestre, sozinho.

Não foi fácil chegar até aqui. Mas aprendi que é possível, principalmente quando se faz com prazer, e não por obrigação. Se puder dar alguma sugestão àqueles que desejam praticar algum tipo de esporte, que escolham um que lhe proporcione satisfação. Dessa forma, a adesão por qualquer prática esportiva que seja, será sustentável, gerando resultados surpreendentes, para o corpo, mente e coração.

Hoje, uso a bike como prática esportiva e também como meio de locomoção. E, enquanto houver em mim saúde, não permitirei que minha bike fique encostada, em algum canto qualquer de minha casa.

Obrigado por sua atenção e até a próxima, se Deus assim permitir.

Ricardo Meni

Envie você também a sua história

ATÉ ONDE VOCÊ FOI é o maior banco de histórias e experiências sobre a bicicleta e o ciclismo da internet brasileira. Para conhecer o projeto e enviar a sua história basta clicar aqui

COMPARTILHAR
Artigo anteriorDa Glória de Bicicleta para o Mundo
Próximo artigoI Bike Tour Lagoa dos Patos
Até Onde VOCÊ Foi? é um projeto do blog que divulga histórias inspiradoras das pessoas e suas bicicletas. As primeiras pedaladas, sua última viagem de bike e muito mais. O texto é de autoria do leitor indicado no início do post, e as informações e opiniões contidas são de responsabilidade do mesmo. Que tal compartilhar sua história com milhares de leitores? Basta enviá-la para contato@ateondedeuprairdebicicleta.com.br

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA