5 dicas para pedalar longas distâncias

78
60
pedalar longas distâncias
Pedalar longas distâncias exige alguns conhecimentos

Atualizado em 26/02/2016

Esse post de hoje é especial pra você que gosta ou que quer ir cada vez mais longe com sua bicicleta. Eu adoro pedalar longas distâncias, e meu recorde foram 200km em um dia, numa prova de AUDAX em Rio das Ostras.

Longe de um tratado sobre atividade física e treinamento de ciclismo, vou colocar aqui são 5 dicas para pedalar longas distâncias. No final desse post também dou dicas extras de leitura pra você que quer pedalar cada vez mais longe.

Após tantos anos pedalando, já perdi as contas de quantas vezes pedalei distâncias acima dos 100km. Mas, essas pedaladas não acontecem com tanta frequência assim (toda semana, por exemplo). Gostaria que acontecessem semanalmente (no sábado ou no domingo), mas pra mim esses pedais são raros por alguns motivos. O primeiro é por serem muito cansativos (e não é sempre que me encontro no melhor da minha forma, hehehe). Outro fator importante, é que pedais longos tomam um tempo muito grande. Se você vai pedalar 100km, por exemplo, com média de 25km/h, lá se vão 4 horas, fora as paradas, descansos, etc. Ou seja, é um programa delicioso, mas dedique a ele o tempo que o pedal merece! E finalmente o último fator, é a companhia. Não é sempre que estou animado de fazer sozinho, e por outro lado, é difícil arrumar um guerreiro disposto a te acompanhar numa dessas.

De qualquer maneira, nos meus pedais longos percebi alguns detalhes que me ajudaram a chegar bem, apesar de não estar tão  preparado como em outros tempos. Vamos a eles:

5 dicas para pedalar longas distâncias

pedalar longas distâncias
Pedalar longas distâncias exige alguns conhecimentos

Dica 1 – Hidratação para pedalar longas distâncias

Beba bastante água!
Beba bastante água!

Até aí nada de novo, pois sempre fui atento a essa questão. A cada 15, 20 minutos um pouco d’água. No caso de pedaladas de longa duração (acima de 2 horas) utilizo isotônico (Gatorade, água de côco, etc.) que também repõe sais minerais e tem carboidratos para manter a energia.

Dica 2 – Alimentação em pedais de longa distância

Alimente-se bem

Aí uma grande diferença. Nas pedaladas longas que já fiz sempre levava bastante comida. Engano com umas barrinhas de cereal e o momento do “banquete”, com sanduiches, frutas etc. Se estiver em algum local com comércio, aproveito também alguma lanchonete ou padaria. O grande erro: sempre comia quando a fome chegava. Fazendo isso, sempre chegava um momento no pedal onde me sentia fraco (achava que era apenas devido ao cansaço) além de me sentir um saco sem fundo, e nada que eu comia resolvia. Deve ser feito como a hidratação, ou seja, devemos manter a ingestão de carboidratos  para termos energia durante toda a pedalada.

 Aqui no blog temos um artigo sobre alimentação ideal para treinos e provas de longa distância. Você pode conferir clicando no link.

Eu procurei nesse ano uma nutricionista e meu desemprenho no pedal aumentou bastante. Se você puder e quiser, eu aconselho, é um ótimo investimento! Atualmente eu levo sanduíches, bolinhos, frutas e biscoito salgado, que como a cada 2 horas (não tudo de uma vez, rs), como se fosse uma refeição normal. Além disso, utilizo gel de carboidrato de 1 em uma hora, apenas para pedaladas longas (acima de 2 horas).

Dica 3 – Roupa de baixo (o que???)

.

Isso mesmo. A famosa cueca senhoras e senhores. Parece bobagem? Pedale por 7 horas com uma cueca slip. A costura provavelmente deixará a pele da virilha em carne viva. E se estou escrevendo isso, é porque infelizmente já aconteceu. Mas valeu a lição. Cuecas grandes, tipo boxer (tá na moda já faz um tempo). Nas provas de AUDAX já vi algumas pessoas passando pomadas anti-assaduras ou mesmo vaselina na virilha. Isso ajuda, mas lembre-se: é essencial que você tenha uma posição confortável no selim e uma vestimenta que não te incomode durante a pedalada.

Dica 4 – Conforto

Bicicleta bem regulada é fundamental

Bermuda acolchoada e selim confortável. Mamãe passou talquinho e cuidou tão bem, não vamos fazer pouco caso agora. Outra coisa fundamental é uma bicicleta bem regulada para o seu tamanho, pois você vai ficar muito tempo em cima dela, e deve se sentir bem.

Dica 5 – Pedale com as costas livres

.

Nada de mochila, pochete ou mochila de hidratação. Da mesma forma, ao longo das horas, o pequeno peso vira um verdadeiro fardo a ser carregado, e a lombar que já é exigida por posições mais agressivas de pedalada vai “abrir o bico”. Se quiser opções, esse post do blog dá 10 alternativas para pedalar sem mochila.

Dicas bônus:

Protetor solar

.

Indispensável e dispensa comentários. Você pode usar também blusas compridas, “manguitos” e outros acessórios, mas o protetor solar é fundamental para a partes descobertas.

Quantos km pedalar por dia?

Temos um artigo aqui no blog que fala sobre quantos km pedalar por dia. Ele é mais voltado para o cicloturismo, mas as informações valem também para os seus treinos do dia-adia. É só pensar que vai fazer com a bike normal, e não carregada para a viagem. É só clicar no link e boa leitura 🙂

“Resumo da ópera”

É claro que para fazer longas pedaladas é preciso o mínimo de preparo. Comece com distâncias menores, mantenha regularidade, e se animar, escolha um dia para esticar um pouco mais longe. Após o pedal mantenha a boa alimentação, e é claro, descanse. No caso de pedaladas longas, alguns desses pequenos detalhes podem fazer a diferença entre chegar bem, chegar um bagaço, ou voltar empurrando.

Tem mais alguma dica? Me ajuda ae, é só comentar.

Clique aqui para ver mais dicas para pedalar.

78 COMENTÁRIOS

  1. Um grande abraço a vocês! Lendo este artigo me lembrei.. dia desses fui de sabará a cachoeira do Morro Vermelho e voltei no mesmo dia. Dá um mucadim de km. a história e essa mesmo. Quando passar por aqui… lembra de mim.

  2. Meu Caro, gostaria de informaçoes a respeito de como proceder numa nova empreitada e acho que podes me ajudar.
    Trabalho em uma cidade a 30km de onde moro e gostaria de mudar do onibus que gasto 30 min para a bike, sem pressa de chegar.
    O que me sugere? Qual tipo de bike comprar? qual a preparação que devo ter (fisica)? Tenho que tranposrtar todos os dias um notbook e aí como faço com ele? Qual o melhor jeito de traansportá-lo?
    Enfim , achei seu texto muito interessante e fiquei a vontade pra te fazer estas perguntas.
    Um abraço
    Renata Cibely

  3. Ei Renata, obrigado pela visita.
    Desculpe pela demora, mas agora que estou retornando das férias…
    Para te responder, seria interessante saber algumas informações complementares, mas vamos lá.
    Bom, imagino que o trecho percorrido seja de asfalto. Dependendo da sua opção por conforto poderíamos variar entre uma mountain bike, com suspensão dianteira (opção com mais conforto) ou uma bike com aro 700, pneus finos, garfo rígido, como uma Caloi 10 por exemplo (opção com menor conforto, mas melhor desempenho).
    30km é uma distância considerável, e pedalar sem peso nas costas (mochila) vai te dar um conforto sem igual. Então sugiro pra você que vai pro trabalho uma bike com bagageiro, pra você colocar um alforje ou um top rack. Nele você leva tranquila roupa extra, seu notebook e outros utensílios que você possa utilizar no seu trabalho. Nesse post eu mostro o top rack que eu uso: http://ateondedeuprairdebicicleta.wordpress.com/2010/05/27/tirando-o-peso-das-costas/. Acho muito bom, e cabe um netbook desses menores. Se não quiser comprar um desses, pode levar no bagageiro uma mochila comum, presa com aqueles elásticos com ganchos nas pontas. Fica bem firme, não tem erro.

    Quanto à preparação física, se for sedentária, sugiro começar pedalando por sua cidade mesmo até conseguir pedalar os 30 km com tranquilidade. Lembre-se: na verdade são 60 km (30 ida e 30 volta não é isso?). Assim que conseguir, o próprio trajeto de ida e volta ao trabalho vai aos poucos contribuindo para o ganho de condicionamento. Outra coisa, sugiro iniciar gradativamente. Experimente o trajeto para o trabalho de bike uma vez por semana. A medida em que for se sentindo bem, aumente para 2 vezes, 3… a medida em que for ganhando condicionamento físico, vai conseguir aumentar a quantidade de dias em que utiliza a bike.

    Boa sorte pra você! Depois nos conte aqui como foi.
    Espero ter contribuido.
    Um abraço

  4. André e galera, estou prestes a comprar uma bike para médias distâncias. Inclusive o objetivo principal é poder sempre visitar meu irmão que tá à 60km daqui pela Bandeirantes. Que bikes voces recomendam para tal? Digo, sejam bem específicos. Obrigado gente, até mais.

  5. Bom Pedro
    Se for levar muita coisa e precisar de bagageiro sugiro uma híbrida. Como vai pegar só asfalto seria interessante as rodas 700. Se já tiver um melhor preparo, for de mochila ou pouco peso e quiser mais desempenho pode pensar numa caloi 10 ou modelo semelhante.

    Um abraço e boas pedaladas

    André

  6. Olá, André
    Seu blog é bem legal porque fala uma linguagem fácil. Para mim, que vou começar agora, do zero, no ciclismo de longas distâncias, seus comentários são muito úteis.
    Logo de entrada, também tenho a mesma dúvida da Renata: que bike comprar.
    Meu objetivo é começar uma preparação cuidadosa para cobrir daqui uns oito meses cerca de 600 km. O trajeto será de Salvador a Maceió, em março do ano que vem.
    Ainda não fiz um reconhecimento do trajeto, mas considerando as conhecidas condições das rodovias brasileiras, devo pegar trechos de asfalto em mal estado.
    Penso em uma híbrida. O que você acha? Só não entendi esse lance das rodas 700 que você falou para o Pedro. Que rodas são essas? É uma híbrida adaptada pelo próprio dono? Desculpe o desconhecimento, mas eu nasci ontem para o mundo das bikes. 100% amador.
    Abraço e muito obrigado.

    Alex
    Salvador-BA

  7. Ei Alex
    Acho uma híbrida uma ótima idéia. Sou suspeito pra falar, pois tenho uma, e acho a melhor opção pra quem prefere um pouquinho menos de desempenho e muito mais conforto. As rodas 700 são rodas que encontramos nas bikes speed, caloi 10 etc. Elas são um pouco maiores do que as encontradas nas mountain bikes. Então, algumas pessoas montam híbridas, colocando essas rodas em mountain bikes (e fazendo outras adaptações como paralamas, bagageiros etc). Outras compra modelos já prontos, sem fazer adaptações (como a Caloi CityTour por exemplo). Você pode encontrar um pouco mais de informação sobre isso nesse post: http://ateondedeuprairdebicicleta.wordpress.com/2009/08/11/pneus-para-bicicletas-hibridas/

    Obrigado pela visita e um grande abraço

  8. Obrigado pela pronta resposta, André. Estou cada mais convencido de que a híbrida será ideial para meu projeto. Infelizmente, parece que a Caloi City Tour saiu de linha.
    Abraço
    Alex

  9. Amigo, gostei muito da postagem, principalmente do item ROUPA DE BAIXO! E, se permitir, complemento sua dica. NÃO USEM ROUPA DE BAIXO, SOMENTE A BERMUDA ACOLCHOADA COM PREFERÊNCIA PARA O BRETELLE (MACACÃO)

  10. Cara vou fazer um passeio com meu colega…
    em setembro agora,proximo ao feriado,de Barbacena a Tiradentes…
    vou acampar na serra de tiradentes cai ser irado,sempre pedalei longas distancias…
    e fica mais uma dica pare sempre para alongar e tomar uma maltodextrina tbm ajuda mais que isotonico…almoce menos e coma por mais vezes pode pesar d+.

  11. eu faço meus passeios com bermuda e sem cueca,kkkk é bem melhor…
    e outra eu vou as vezes fazendo alta resistencia consiste em pedalar entre 35km/h e 50km/h durante uns 2km e passar 20km sem agua e sem nada,só eu e a bike,isso faz acostumar com uma possivel eventualidade(sem grana,ou assalto),onde levam todas as suas coisas,além de tudo depois fico melhor ainda no pedal.
    só pra quem entende msm,sem muita frescura,mais se passar de 40km não aconselho fazer isso,só os loucos fazem.

  12. Concordo com você Leonardo, Não faço e não aconselho ninguém a fazer. Ainda mais que no estado de privação (fome e sede por exemplo) o desempenho do nosso corpo diminui bastante. Se cuida! Um abraço
    André

  13. Parabéns pelo artigo.
    É isso mesmo. Quando comecei a andar de bici “longas distâncias” fiz 46km (um percurso de 23km ida/volta) e fiquei tão feliz, tão feliz que nem podia acreditar. Um ano depois fiz minha primeira cicloviagem (plano: fazer 1240km em 14 dias e estava morrendo de medo de ter que pegar um trem). Acabei completando o percurso em 10 dias, e batendo o recorde de fazer 190km em um dia.
    Com a bicicleta é assim, cada dia um pouquinho mais e sempre pedalando!!
    Não consigo mais sair desse site, tem muitos links interessantes. Parabéns à equipe!!!

  14. Que legal Carol!
    Muito obrigado por seu comentário e pelo retorno positivo aqui pro blog. Estamos trabalhando pra que ele seja cada vez mais a casa de todos os amantes das biciletas.
    Um grande abraço e boas pedaladas!

  15. Vocês têm que conhecer e verificar em loco as grades viagens do RENATO CAMPINHO, Brasileiro, Piauiense, que SOZINHO E SEM PATROCÍNIO já percorreu MAIS DE 200 MIL kilometros de Bicicleta. Este sim gosta de Andar de Bicicleta de Verdade. Hoje mesmo está em Cochabamba na Bolívia rumo aos EUA.

  16. Olá,,
    Neste sábado 11/01 fiz meu primeiro longo percurso c a Caloi 29- saindo de Itaperuna/Rj as 4h45 cheguei no Posto Vale do Pomba 15kms antes d Leopoldina/MG 13h30…foram 100km de emoção e mto sol em cima dos meus 64 anos…Ali pedi ‘resgate’ pois estava mto tempo sem ficar exposto a sol forte por mto tempo.
    Feliz por suas dicas, q encontro agora, e pelos comentários, pretendo melhorar minha performance com mais informação e preparo.
    Oxalá se crie uma mentalidade esportiva mais intensa no Brasil,qto ao estímulo ao ciclismo, criação de ciclovias e q motoristas e a comunidade em geral, respeitem e apoiem mais os ciclistas por onde estiverem, principalmente no asfalto sem acostamento. E os ciclistas, por sua vez, também usem equipamentos completos e chamativos qto a luminosidade, cores, etc…..Coisas exóticas mas q despertem atenção nas pistas, destacando-nos nas belas paisagens por onde pedalamos. Registro aqui o respeito dos caminhoneiros, entre os quais o pessoal do Rápido MAX Express Ltda, de Laranjal/MG cujo líder, Sr. Fernando, também é ciclista, dando-me atenção especial. A próxima será de Itaperuna a Campos dos Goytacazes/RJ, e será + bem planejada..rs
    Grande abraço a todos!

  17. Temos aqui em Recife um grupo para pedais aos domingos, é o DOMINGO LONGO PEDAL, no qual dedicamos a pedais longos, sempre acima de 60 km (é regra do grupo), ocorre que nunca fizemos um pedal com menos de 90 km. Para não parecer que poucas pessoas aderem a esse tipo de pedal no último que fizemos semana passada com distância de 90,5 km tivemos 31 ciclistas, fizemos uma volta saindo de Olinda até a praia de Atapuz, atravessamos de balsa, com uma vista belíssima de Barra de Catuama e Pontal de Itamaracá e retornamos para Olinda. Nossa média de participantes é de 10 a 15 ciclistas por final de semana, mas sempre temos uma turma bem disposta. Quanto às dicas passada, já utilizávamos instintivamente todas elas, exceto a nutricionista esportivo. Minha maior distância pessoal em um dia foi 149 km quando saímos dia 1º de maio de Recife até a praia de Japaratinga em Alagoas. Temos um projeto para final de ano para sairmos de Recife até Fortaleza em 12 dias, aproximadamente 990 km pelo litoral, esse projeto ainda está em faze de planejamento e de adesão dos malucos que toparão.
    Um detalhe, tenho 122kg.

  18. Mais uma observação, nos pedais longos não temos preocupação com o tempo é um pedal de contemplação.

  19. Que legal Rodrigo! É como penso, tem muita gente pedalando longas distâncias. Aqui na minha cidade (Belo Horizonte) nos fins de semana as estradas e trilhas estão cheias! Boas pedaladas pra você e pra todos do Domingo Longo Pedal!

  20. Muito legal seu blog e motivador. No caso de não usar mochila de hidratação, qual opção teria? Bebo muita água e uma garrafinha é pouco.

  21. Olá Délio, muito obrigado por seu comentário. Veja bem, eu também bebo bastante água durante o pedal. Caso você pedale por locais onde não é possível repor a água por muitos km, existe algumas opçoes:

    1 – Já vi bicicletas com quadros adaptados para 2 ou até 3 garrafinhas (existem suportes duplos de garrafinhas)

    2 – eu ja consegui adaptar uma garrafa d’agua de 1,5L na minha bike. É só usar alguma marca que a embalagem seja mais afinada no bico.

    3 – ALgumas alternativas como um top rack tem espaço para mais uma garrafinha, além de poder colocar garrafas dágua dentro dele, no compartimento maior. Ano passado fiz uma prova de AUDAX de 200km em cerca de 10hs e 40 min. Levei 3 garrafas d’água e ia repondo à medida em que elas iam acabando.

    4 – Eu já pedalei com mochila de hidratação. Acho uma boa se for um pedal de até 3hs e se for só o compartimento de água. Pra pedai mais curtos também a mochila é muito bacana. Mas isso geralmente vai da opção e preferência de cada ciclista. Mas pedais muitos longos eu tenho preferido ficar sem nada nas costas.

    Abraços e boas pedaladas!

  22. Fiz uma com mais de 100, outras próximas disso, alusivo à 1ª levei leite condensado, e 2 garrafas de água, mole, a volta foi cruel, pq foi p/ Santos (Sampa/ Santos) depois de muito tempo voltei com a “magrela” e agora aos 60, tô pensando em fazer uma loucura, ir para a terrinha (Recife) adorei a dica do nutricionista, 200 p/ dia, seria uma boa? daria aproximadamente 25 dias, antecipadamente obg!

  23. sou iniciante tenho uma caloi 100 posso fazer umas adaptaçôes nela pois disponho de pouca verba gostaria de pedalar medias distancias comciga adaptar aro 700 nela ? um abraço

  24. Olá Rogério.
    Você pode checar isso numa bicicletaria, será mais seguro. Talvez,pelo tamanho do garfo, uma roda 700 não sirva. Uma solução são pneus slick 1.5 pra roda aro 26 mesmo. Aumenta bem o desempenho no asfalto. Mas vale a consulta a um mecânico ok? Um grande abraço e boas pedaladas!

  25. André,
    Gostei das dicas, algumas já estavam em prática, estou começando o treinamento para adquirir resistência a longas distâncias, aumentando gradativamente o pedal em 5 km acredito que assim consigo ir longe, mas o problema neste caso realmente é o treinamento solitário, porque é difícil arrumar um cúmplice nesta empreitada, também percebi que o tempo para dedicação ao pedal é outro. Por motivo de segurança não pego estrada com frequência, treino mais na cidade, porem é um pouco tedioso sempre as mesmas passagens e trajetos.

    Abraços.

  26. Olá estou pensando em fazer uma pedalada de 200 km faz tempo que não pedalo. como vc me aconselharia a realizar essa pedalada logo ? e que tipo de bike é aconselhável ? o que me preocupar com a manutenção dela na viagem.

  27. Olá André, obrigado por sua mensagem.
    200km é uma distância considerável pra quem não pedala há muito tempo. A melhor dica é procurar um profissional de educação física que vai fazer o seu treino de acordo com o seu nível de condicionamento físico e a partir de algumas avaliações e testes físicos. Para as outras dicas eu aconselho o nosso Guia para Viajar de Bicicleta – Volume 1, que tem boas dicas para o planejamento de uma viagem de bicicleta. Basta clicar nesse link: http://materiais.ateondedeuprairdebicicleta.com.br/ebook-guia-para-viajar-de-bicicleta-volume-1

  28. Ei Natan, obrigado por sua mensagem.

    Nessa prova específica eu fiz em 10h e 45 min, contando o tempo de descanso, paradas, almoço etc. Tempo bruto de pedal foram 8h:30min.
    Um grande abraço e boas pedaladas!

  29. Oi ! Queria fazer uma atividade fisica e comecei a pedalar me apaixonei mas tenho pouco tempo estou treinando pq quero ir da minha cidade ppinheiral estado do Rio a aparecida sao paulo que deve dar 165 km . Gostei do seu artigo parabens ! Vou ve se ate fim do ano eu consigo;

  30. Bom dia amigo! Eu pedalo uma bicicleta de carga,e já pedalei ela por 200 quilômetros em um dia e cheguei inteiro.Valeu pela dica.

  31. André, boa tarde!
    Primeiro parabéns pelo blog!!! Muito legal a forma como escrevem. Então cara, eu comprei uma bike aro 27,5 há um mês no máximo, estou pedalando de duas a três vezes por semana uma média de 15 KM. Neste fds vou pedalar 95 KM, estou um pouco inseguro, porém muito determinado. Acredito que suas dicas vão me ajudar muito. Me desejem sorte, na segunda posto como foi. Abraços!

  32. Olá,
    Sou iniciante e possuo uma caloi 10 com guidom reto. O meu plano é fazer viagens longas, algo entre 600/700 km sem pressa de chegar. A minha principal preocupação é a maneira de carregar a bagagem, já que um cargueiro nessa bike não parece ideal. Recomenda outra bike? Alguma adaptação?
    Abraço

  33. Olá Eric, muito obrigado por sua mensagem.
    Na Europa é muito comum as pessoas fazerem cicloturismo com bikes tipo touring.
    A primeira coisa que sugiro no seu caso é levar o mínimo necessário e dividir o peso. Você poderia combinar por exemplo um bagageiros dianteiros e traseiros, com alforjes com pouco peso. Ou ainda, pode combinar uma bolsa de guidão, com um bolsa de quadro, bolsa de selim e um top rack. Resumindo: muitos compartimentos levando pouco peso.

    Aqui no Guia para Viajar de Bicicleta – Volume 1 – eu apresento algumas dicas de combinações de acessórios de carga e o que levar em cada um. Talvez possa ser interessante pra você montar a sua: http://materiais.ateondedeuprairdebicicleta.com.br/ebook-guia-para-viajar-de-bicicleta-volume-1

    E no caso da adaptação do bagageiro sugiro esse post aqui do blog: http://ateondedeuprairdebicicleta.com.br/dica-como-adaptar-bagageiro-para-cicloturismo-em-mountain-bike/

    Não é uma caloi 10, mas você pode ver que o modelo de bagageiro usado foi um mais fininho. Pode ter dar ideias também de adaptações, que você mesmo pode fazer ou levar para uma oficina.
    Espero ter ajudado.
    Quando terminar sua viagem, envie o relato aqui pro blog. Vai ser muito legal publicar uma viagem de ciclotur com Caloi 10.
    Um grande abraço e boas pedaladas,

  34. Parabéns pelo Blog André, faço de 2 a 4 pedais longos por mês, e suas dicas já me auxiliaram muitos. É sempre bom ter companhia nesses pedais,mas é igual vc falou : É difícil arrumar um guerreiro disposto a te acompanhar numa dessas”!!
    Feliz ano novo pra vc e pra galera do pedal, que venha logo 2016 com muito pedal.

  35. Oi Andre, parabéns belo Blog !
    Entrei no mundo do pedal a uns 5 anos e gostaria de compartilhar um pouco da minha experiência com todos.
    Comecei com uma bicicleta bem simples que custou cerca de R$ 1000,00 que foi uma Caloi 100 sport. Comprei mais pelo design e não cheguei a andar muito com ela. Por incrível que pareça, a melhor coisa que me aconteceu foi que me roubaram ela no bicicletário do prédio! Vou explicar por que: Dessa forma fui forçado a comprar outra e acabei comprando uma bem melhor: A TREK SHIFT 4, que é uma bike estilo Confort. Uma delícia pra passear na orla, em pequenos trajetos. Assim comecei a entender que existem diferenças entre as bikes e também por que existem bikes mais caras. Eu queria uma bicicleta para percursos mais longo, e então 1 ano depois comprei uma Híbrida… outra TREK.. dessa vez a FX series 7.3.. Um verdadeiro avião ! Em 1 ano rodei mais de 3000kms com ela (sem furar 1 pneu!). Os passeios começaram a evoluir de 10 para 30kms por pedalada.. e em pouco tempo estava rodando 50kms em 2 horas com facilidade. Aí comecei a entender o poder do aro 700, de um quadro leve e aerodinâmico e de um pneu mais fino, nesse caso um 32. Bikes realmente são como uma cachaça! É fascinante perceber como são eficientes.. não poluem e fazem muito bem a saúde! Além claro de ser a maneira mais divertida que conheci até hoje de fazer exercício rotineiramente. Esse ano finalmente tomei coragem e evolui para uma bike speed de carbono.. obviamente, não consegui me desvincular da TREK. Dessa vez foi uma Domane 4.1 zero bala. Infelizmente só resolvi comprar após a alta do dolar e o preço foi um pouco assustador, algo que nunca imaginei que pagaria numa bike. Mas hoje tenho certeza de que vale cada centavo e de que terei o retorno do meu investimento em muita felicidade e saúde! Infelizmente no Brasil bikes importadas são muito caras, mas você sente a diferença claramente. Por traz de uma boa bike existe muito investimento e engenharia que você sente a cada pedalada. Sou do Rio de Janeiro e o maior desafio é sobreviver aos assaltos, mas desde que não me machuquem, pode levar que eu compro outra melhor! 🙂 Um abraço a todos e um 2016 com muitas pedaladas (sinônimo de saúde)!

  36. Olá Fernando, muito obrigado por seu comentário.
    Também penso da mesma forma! Bicicleta é saúde, felicidade e investimento! Nunca deixei de comprar uma bike (ou qualquer outra coisa) por medo de ser roubado. O mai importante é a nossa saúde! Um abração e boas pedaladas pra você 🙂

  37. Bom dia.

    Pretendo pedalar do Rio a Miracema, aproximadamente 270KM, quanto tempo seria o ideal fazer ?
    Estou iniciando com a BIKE, estou acostumado com 21 KM de corrida de rua ( Meia maratona ), mas estou com um pouco de dúvidas.
    As paradas para descanso são recomendadas a quantos KM quando se trata de longa distancia.
    Att, Robson

  38. Gostei da matéria sobre 4 dicas para pedalar longas distâncias. Ainda não pedalo, mas corro, já fiz várias provas de 10, 21 e 42 km, pretendo fazer uma viagem do interior de São Paulo ao litoral paulista.
    Gostaria de dicas uteis de distância adequada a ser percorrida por dia e dicas de segurança em geral, o que devo levar e o que não devo.
    Abraços

  39. Eu já pdalei 207 km em um dia fui de osasco a Boituva e mim senti muito bem agora vamos tentar 310 km em um dia vamos de osasco a Porangaba ida e volta

  40. Bom dia.
    Estou querendo fazer uma viagem do interior de São Paulo para o litoral, gostaria de dicas de marca de bike para esse “passeio”.

  41. Olá. Ótimas dicas… Me deixou bem mais confiante e menos preocupado. Pedalo uma média de 80 km por dia, são 40 km para ir e 40 km para vir ao trabalho, minha alimentação é bem simples, com bastante água e muitas frutas, como banana, laranjas, goiabas e etc. Procuro evitar ao máximo bebidas e comidas industrializadas. A cada uma hora de pedalada, dou uma parada para dar uma alongada, tirar uma água do joelho e dá uma revisada na bike, corrente e rodas. É muito importante, ainda mais para quem anda muito próximo às vias e os carros. Infelizmente tem muitos motoristas que não nos respeitam! Meu humor, respiração, dores de cabeça frequentes, estresse e as contas no final do mês melhoraram muito, rsrs. Não me preocupo mais com revisões no carro e principalmente com o preço do combustível… Nos primeiros dias é um pouco dolorido, coxas, virilhas, bunda, costas e etc. Porém, no primeiro mês, mantendo o ritmo, a maioria das dores vão embora. Não se esqueçam dos acessórios, como, piscas, lanternas, retrovisor do lado esquerdo, o capacete e uma câmara de ar reserva com bombinha para encher pneus. Um GRANDE abraço e ótimas pedaladas!!!!!

  42. Moro aqui em Pelotas no Rio Grande do Sul tô com vontade de ir para Porto Alegre de bicicleta a distância de Pelotas a Porto Alegre é de 256 quilômetros Quanto tempo vou levar pedalando

  43. Olá André tudo bem?
    Adorei suas dicas e o site que acabei de conhecer. Parabéns!!
    Vou precisar muito de sua ajuda, pois pretendo fazer uma viagem longa em janeiro do ano que vem. Moro em Brasília e minha viagem será para Barreiras Bahia, são exatamente 645 kms da porta da minha casa.
    Eu já faço alguns pedais em grupos aqui mesmo pela cidade, que dá em torno de 55 a 65 kms.
    Aos sábados eu sempre faço um pedal sozinho que chega a dá 80 kms, e faço em +ou- 4hs.
    Gostaria que se alguém aqui já teve experiências como essa, que post aqui, pois vai me ajudar bastante. Estou até um pouco meio que perdido sem saber o que levar, quais os melhores horários para recomeçar a viagem, até que horas pedalar, dicas nesse sentido.
    Minha bike é uma Elite 30 Sram, mais vou trocar o pé de vela por um Sram X9.
    Gostaria que a galera postasse sobre essa bike também, se devo enfrentar com ela mesmo, eu gosto muito de pedalar com ela aqui em Brasília, acho uma bike muito boa, mais gostaria de mais opinião sobre a bike.

    André, desde já agradeço e deixo aqui meu muito obrigado, e desculpe pela postagem, longa pacas rsrsrs.

    Um abraço a todos.

    Neto Macedo

  44. 4 horas de pedalada é muito tempo? considerando que é uma planície.

  45. Ei Felipe, obrigado por sua mensagem. 4 horas de pedalada não é muito tempo não. Tem provas de ciclismo (amador) que podem durar bem mais. Como você ainda ressaltou que o relevo ajuda, resta saber o seu nível de condicionamento ok? O segredo é ir progradindo aos poucos. Um abraço e boas pedaladas,
    André

  46. Eu pedalo 1x por semana num passeio noturno… este pedal é bemmm fraquinho 20km com paradas, sinais e tudo mais, mas ja teve um que fiz noturno que deu 40km e ritmo melhor não cansei tanto até q foi bom em 2h +-. Masss este ano pretendo fazer uma viagem pra terra dos meus pais que dá 160 km… Seria necessário eu fazer uma uma mini viagem novamente pra ver se o condicionamento ainda é o mesmo? MElhorei alimentação creio que ainda to melhor hj em dia rs… A pergunta é quanto tempo mais ou menos vou saber se estou preparado pra esta viagem? Tento a viagem de 50km (25km ida e da volta ), dps tento uma de 80km (40km ida e volta) e viagem de 160km penso em parar em hotel caso nao consiga tudo no mesmo dia… Entao demandaria menos treino?

  47. Olá Glauber, obrigado por seu comentário. Pra pensar no seu treinamento e em como dosar o seu esforço em uma cicloviagem, vários fatores entram em cana. Além do seu condicionamento, deve levar em conta a distância, terreno, peso que vai carregar, enfim… É uma pergunta complexa, mas temos um artigo que pode te ajudar a resolver. É só clicar no link: http://ateondedeuprairdebicicleta.com.br/cicloturismo-quantos-km-pedalar-por-dia/
    Essa sua sugestão de treinos progressivos é interessante, pois ir aumentando a dificuldade a cada pedal é uma forma de controlar e acompanhar o seu condicionamento.
    Espero que o artigo ajude.
    Um abraço e boas pedaladas!

  48. Show o comentario é isto ai bora fazer audax 600 km fds … as dicas é importante,comer e se hidratar é o essencial
    Abração a todos ciclista David Carneiro

  49. Sou iniciante na bike e amo esse site! Tenho que colocar mais em prática as dicas que aprendo aqui… Amei também o artigo que li hoje sobre as mulheres no mundo do pedal, e acho importantíssima essa discussão. Só que depois de ler esse post, voltei a essas 5 dicas MARAVILHOSAS e encontro uma que ao falar de roupa de baixo e só cita a cueca. Talvez pudessem atualizá-lo com informações que contemplem tanto os meninos quanto as meninas do pedal! Espero que não vejam como um crítica, apenas uma sugestão para que o que já é bom fique ainda melhor. Grande abraço a todos!

  50. Ei Lucas, obrigado por sua mensagem.

    O ideal é procurar um profissional de Educação Física. Ele irá solicitar alguns testes e avaliações (algumas feitas por ele, outras eventualmente por um médico) para determinar o seu nível de condicionamento e a partir daí prescrever o volume adequado de atividade física pra você iniciar.
    Essa é a maneira mais segura para se iniciar em uma atividade física ok? Não só pelas questões de saúde, mas também para determinar o volume inicial de treinos.
    Um abraço e boas pedaladas,

  51. Olá Carlos, obrigado por seu comentário.
    Sobre a distância a ser percorrida por dia, temos um artigo que pode te ajudar – http://ateondedeuprairdebicicleta.com.br/cicloturismo-quantos-km-pedalar-por-dia/
    Sobre dicas de cicloturismo, o que levar na cicloviagem, temos um guia para viajar de bicicleta bem completo, que você pode baixar aqui – http://materiais.ateondedeuprairdebicicleta.com.br/ebook-guia-para-viajar-de-bicicleta-volume-1
    Espero ter ajudado!
    Um abraço e boas pedaladas

  52. Ei Rebeca, muito obrigado por seu comentário e pelos elogios!
    Eu vou atualizar o post com dicas melhores sobre roupa de baixo. Mesmo porque é comum quem pedala longas distâncias usar apenas a bermuda ou calça de ciclismo, sem nada por baixo. É muito mais confortável.
    Mas veja, a cueca boxer é uma opção inclusive para as meninas ok? Tenho uma prima que usa já faz um bom tempo e indica inclusive para as amigas.
    Um grande abraço pra você e boas pedaladas!

  53. Olá André! Boa noite! Então, estou com grande dúvida… não sei se compro uma híbrida ou uma montain bike…. Isto porque penso em fazer em futuro breve ciclo viagens e no dia a dia penso em substituir o carro pela bicicleta! Moro a 3 Km do Supermercado (rsrs), quero fazer pequenas compras com a bike e moro a 9 km da academia! Sendo que posso pegar no caminho, trechos de terra, sem asfalto! Ai, dúvida!!! Obrigada pelo site!

  54. Respondendo ao Rogério J. Melo, como adaptar etc…
    Tinha uma bike aqui em casa, aro 26, jogada em um canto e certo dia deparei com uma reportagem da pagina do Edu Capivara ensinando como adaptar rodas 700 em uma bike de aro 26. Muito interessante essa página do Edu Capivara, chama-se Pedaleria e se encontra no Youtube. Além dessa dica existem muitas outras muito boas pra gente fazer em casa mesmo (DIY). Faça você mesmo.
    Bem, peguei a bike aro 26, comprei freio a disco hidráulico, e consegui adaptar umas rodas 700 que eu tinha guardadas, coloquei pneus 700×38, pq maior que isso não iria encaixar no garfo dianteiro e nem na traseira da bike. Ta aqui a bike muito maneira e muito arisca. Vale a pena tentar.
    Obs: na pagina que citei ele ensina a fazer um adaptador pra usar os freios de garra mesmo, mas fica difícil, tem que ter um bom torneiro mecânico pra resolver isso. Abraço, boa sorte.

  55. Achei bem legal …..o site
    e o pessoal trocando experiencia ….show eu adoro fazer pedal longo …
    ando de bike em fds mas amo fazer audax eh uma opção para tds que querem
    testar seus limites rsrsrsrs ….. fora que vc conhece muitas pessoas, começei a 2017 em campos jordão
    que venha boituva-sp 300km a meta é fazer 1000km …..uma dica legal nunca deixe de levar agua e conhecer o percurso para nao ficar na mão e pra pedal longo sempre estar comendo e se hidratando e importante tb comer algo doce, e levar gel anti atrito para nao sofrer pos pedal….
    abraço a tds……e bora pedalar ……..

  56. Valeu as dicas. Estou me preparando para fazer uma pedalada de 120km, e estas informações são valiosas.

  57. Olá André, obrigado pelo comentário. O Canal do Pedaleria no Youtube é mesmo uma ótima dica. Muita coisa boa!
    Um abraço e boas pedaladas!

  58. Olá Simone, muito obrigado por seu comentário.
    Realmente você deve colocar em 1º lugar o uso principal que fará da bike. Veja, se você não vai pegar trilhas pesadas e estradas de terra muito elameadas, uma bike híbrida pode ser uma opção. No caso da terra, você poderá colocar pneus de ciclocross, que são pneus 700 com cravos. Uma mountain bike, para ir ao trabalho e usar no dia-a-dia teria que passar por algumas adaptações, como por exemplo o bagageiro (para cicloturismo, levar as coisas do trajeto casa-trabalho-academia), talvez os paralamas para dias chuvosos…
    Espero ter ajudado.
    Um abraço e boas pedaladas !

DEIXE UMA RESPOSTA