Cicloturismo no Uruguai: pedalando em Canelones

0
472
Foto: acervo pessoal José Maria Perez Gamarra

Por José Maria Perez Gamarra

Ando de bike regularmente já fazem 8 anos, por esporte ás vezes, a trabalho outras.

Em 12-12-2014 fui visitar a minha família no Uruguai e como não me deixaram chegar lá de bike, pedi a família me arrumar uma para andar lá. A poucos anos atrás inauguraram uma rodovia nova de 8 pistas que vai do porto de Montevidéu até o Jaguarão na divisa com Brasil, maravilhosa e em perfeitas condições.

Durante o período da minha visita fiquei hospedado em 3 casas diferentes alternadas, sendo uma no Balneário de Atlántida, outra na cidade de Las Piedras, e outra na localidade de Progreso. As 3 cidades no mesmo estado: Canelones.

No dia 31 de dezembro, não tendo muito o que fazer e depois de ter feito diversas viagens curtas por todas as redondezas da região onde me movia, decidi fazer uma visita à capital do estado, situada a 14 km de Progreso, onde me encontrava no momento.

Todas as viagens foram no estilo “Biketurismo” ou a passeio se preferirem. Portanto esta não seria diferente. A 1 km de distância ficava a nova rodovia e fui… apreciando a paisagem parando para bater fotos ,beber água é até descansar aproveitando a sombra ocasional.

Cicloturismo no Uruguai
Cicloturismo no Uruguai. Foto: acervo pessoal José Maria Perez Gamarra

O percurso passa por diversas adegas tradicionais do país, sendo que é essa região que cultiva os vinhos mais premiados no Uruguai. Antes de chegar a Canelones (capital com o mesmo nome do estado), 6 kms antes para ser exato, encontrei a beira da estrada uma venda de frutas e produtos alimentícios regionais chamado “El Almacén Del Ciclista”. O visual dos famosos pêssegos da região me deteve na hora. A propriedade leva esse nome por ser o seu dono um famoso ciclista esportivo premiado largamente em diversas competições e com 28 anos de curriculum nas costas. Recomendo visitar e ouvir dele próprio as histórias.

Chegando à capital, constatei que já era meio tarde é teria de voltar a tempo para a janta de reveillón, sendo assim empreendi o regresso marcando o tempo exato para ter uma ideia do tempo real da viagem. Para minha surpresa, pedalando em um ritmo único (20kms / hora aproximadamente) a volta levou 50 minutos, sem se apressar, sem parar, sem transpirar.

Recomendo visitar essa região com calma é tempo. Fugíndo do olhar familiar foi ATÉ ONDE CONSEGUÍ IR DE BIKE.

Dicas de Hospedagem nesse Roteiro

Você pode reservar hotéis, pousadas, hostels e até casas de hóspedes através do Booking.com. Assim terá muitas opções para comparar e escolher a que vai te atender da melhor forma.

Envie você também a sua história

ATÉ ONDE VOCÊ FOI é o maior banco de histórias e experiências sobre a bicicleta e o ciclismo da internet brasileira. Para conhecer o projeto e enviar a sua história basta clicar aqui

Faça Cicloturismo com segurança

Tão bom quanto viajar de bike é retornar em segurança para planejar os próximos roteiros! Somos comprometidos com a segurança no cicloturismo e disponibilizamos 2 artigos especiais pra você conferir antes de colocar a bike na estrada:

COMPARTILHAR
Artigo anteriorO Jovem Ciclista
Próximo artigoUm bando sobre duas rodas
Até Onde VOCÊ Foi? é um projeto do blog que divulga histórias inspiradoras das pessoas e suas bicicletas. As primeiras pedaladas, sua última viagem de bike e muito mais. O texto é de autoria do leitor indicado no início do post, e as informações e opiniões contidas são de responsabilidade do mesmo. Que tal compartilhar sua história com milhares de leitores? Basta enviá-la para contato@ateondedeuprairdebicicleta.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA