Dicas: pedalando na chuva

2
30
.

Pedalando na chuva

Depois de 56 dias sem ver uma gota d’água, começou a chover em BH. Chuva fraca, as vezes ficando uma leve garoa, outras aumentando um pouco mais. Hoje foi um dia desses. Pedalei a tarde e ao sair pro trabalho o tempo estava uma incógnita: nublado em alguns lugares, parecendo que ia abrir em outros… Depois de alguns minutos numa análise metereológica-espiritual (talvez muito parecida com a da previsão do tempo oficial) proferi um “acho que dá” como veredito final para minha ida ao trabalho. Como medida de precaução apenas calça ao invés de bermuda e uma blusa de manga comprida, pois além da possível chuva a temperatura caiu um pouco por aqui.

Pedalar na chuva é para mim, e acho que para muitos, uma experiência para a qual deve-se estar disposto. Já pedalei debaixo de temporais com sorriso no rosto. Outras vezes, emburrado com uma chuva fraca e fria que me molhava. Existem algumas estratégias para quem quer pedalar na chuva, seja por vontade ou necessidade, e que obviamente queira evitar o encharcamento.

A primeira delas é a vestimenta. Eu pedalo com calça de ciclismo e meia. A depender da intensidade da chuva, aumento uma ou duas camadas de roupa, de preferência de tecidos que secam rápido (tactel e outras fibras sintéticas). Mas bom mesmo é usar uma capa, ou jaqueta, daquelas de motoqueiro, que tem até fita reflexiva atrás. Meu cumpadre Barba tem uma dessas, e eu hoje me lembrei que já passou da hora de comprar uma. Alguns usam a tática da sacola de supermercado no tênis pra não encharcar, o que não é meu caso, devido especialmente aos paralamas.

Os paralamas: esses sim merecem destaque. Depois que pedalei com eles, não abro mais mão. São maravilhosos, evitam que a roda traseira jogue água suja, lama e afins nas costas, deixando aquela listra de sujeira na camisa/mochila. A roda dianteira também espirra água pra cima, e os paralamas mais uma vez são uma mão na roda. Pode chamar de “tiozão”, dizer que a bike fica feia… o lance é a funcionalidade.

Perto da hora de voltar pra casa, ainda no trabalho a chuva caiu forte. Procurei não me preocupar muito. Depois de meia hora de pancada, novamente a chuva fraca e fina. Meu instinto metereológico (dessa vez) havia acertado! Voltei tranquilo pra casa, e o pouquinho de água que peguei logo se secou.

É claro que vale o alerta: andar de bicicleta na chuva exige atenção redobrada. O asfalto fica escorregadio, e no caso de pedalar a noite, as luzes refletem no asfalto molhado e diminuem a visibilidade de ceguinhos como eu. Além disso, o sistema de frenagem da bike fica alterado, geralmente menos eficiente devido ao encharcamento das rodas, pastilhas de freio etc.

2 COMENTÁRIOS

  1. Pois é veio a chuvinha, tava precisando!
    as vezes ela pega a gente de surpresa mesmo e a friagem é foda em cima da bike…
    mais como vc disse tem vezes que eu curto a chuvinha, num estilo “ciclyng in the rain” principalmente quando sei que meu destino é minha casa, onde poderei tirar as roupas molhadas.
    O canal para se ficar bem relax na chuva pra mim é a capa de chuva, aquelas amarelas ou azuis, nunca vi outra cor! principalmente porque vc deixar a mochila debaixo dela, na minha inexperiencia ja tive varios cadernos e textos desbotados pela chuva!

  2. Quando vou viajar de bike e chove, pra mim é um pé no saco…eu sempre vou preparado e pra não molhar minhas roupas reservas, celular, carteira etc eu sempre coloco td dentro de sacolas plasticas na mochila e da certo, agora capa pra mim não da muito certo não pq na maoria das vezes (quando esta calor) eu não molho da chuva, mas chego molhado de suor como se tivesse tomado chuva.

DEIXE UMA RESPOSTA