Renascimento com a bicicleta

0
209
Foto: acervo pessoal Elaine Cristina Oliveira

Por Elaine Cristina de Oliveira

Renascimento com a bicicleta

A alguns anos atrás caí em uma depressão profunda. Havia me separado de um casamento de 14 anos, fiquei sem minha casa, somente com os dois filhos, dividas e angustia. E em seguida perdi uma irmã, e no ano seguinte meu irmão desapareceu . Caí em uma depressão profunda e tentei tirar minha própria vida depois de muitos dias de angustia e dor .

Porém não obtive sucesso – graças a Deus – pois ele tinha planos maiores para minha vida!

Comecei um tratamento com uma psiquiatra carioca e sempre me dizia : “Cris você tem que pedalar. Compre uma bike.”

E me contou as histórias dela no Rio de Janeiro, no Arpoador, que era lindo, enfim.

Segui os conselhos dela e comecei devagar quase morrendo. Pra subir uma ladeira era em três fases!

Ai fui emagrecendo, ganhando resistência. A bike de ferro já estava cansada, ganhei uma de alumínio, conheci muitas pessoas. Comecei a fazer cicloviagens. A primeira foi para Santa Isabel ida e volta 130 km. Foi espetacular. Eu pedalei um dia inteiro e quase a noite inteira. Cheguei em casa realizada pois naquele dia me senti curada.

Renascimento com a bicicleta
Renascimento com a bicicleta. Foto: acervo pessoal Elaine Cristina Oliveira

Vi que meus horizontes haviam se expandido e que tudo se tornara diferente, que existia algo muito além do horizonte, que me dava animo de vida. Em todo tempo eu era grata ao pai eterno pois ali eu havia me encontrado e me sentia uma nova criatura.

Depois voltei a médica, ela ficou muito feliz em me ver com 20 kg a menos, com semblante diferente. E meus medicamentos foram reduzidos em 80%.

Já fiz inúmeras viagens mais a maior delas foi dentro do meu ser, que verdadeiramente foi transformado através da minha bike e de inúmeros amigos que fiz ao longo desses 2 anos de pedal.

O suicida não quer se matar! Somente quer matar a dor que está dentro de si. Hoje não sinto mais essa dor, a minha serotonina está em dia, e minha autoestima também.

Obrigada ,
Elaine Cristina Olivera

Envie você também a sua história

ATÉ ONDE VOCÊ FOI é o maior banco de histórias e experiências sobre a bicicleta e o ciclismo da internet brasileira. Para conhecer o projeto e enviar a sua história basta clicar aqui

COMPARTILHAR
Artigo anteriorAté Onde VOCÊ Foi: coletânea de pequenas histórias nº 5
Próximo artigoCicloturismo: Pedaleira sertão-praia (CE)
Até Onde VOCÊ Foi? é um projeto do blog que divulga histórias inspiradoras das pessoas e suas bicicletas. As primeiras pedaladas, sua última viagem de bike e muito mais. O texto é de autoria do leitor indicado no início do post, e as informações e opiniões contidas são de responsabilidade do mesmo. Que tal compartilhar sua história com milhares de leitores? Basta enviá-la para contato@ateondedeuprairdebicicleta.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA