Terno para bicicleteiros

0
483
Divulgação: Parker Dusseau

Por Gil Sotero

.

Até o momento, todo bicicleteiro que precisava chegar ao trabalho “arrumado na beca” como se dizia antigamente, sabe o quão difícil é pedalar com o terno na mochila. Além de amassados, acabam chegando suados, já que muitos levam nas costas as roupas.

.

Pensando em garantir conforto e aparência a marca norte-americana Parker Dusseau lançou o Commuter Suit; uma linha de roupas voltadas para advogados, executivos, profissionais cuja vestimenta é exigida no quotidiano e qualquer pessoas que precisa ou gosta de usar ternos mas não abrem mãos das magrelas.

Divulgação: Parker Dusseau
Divulgação: Parker Dusseau

.

As peças possuem muitas soluções para tornar as pedaladas pra lá de chic, como; zíper na região das axilas para aumentar a ventilação, 28% de elastano, que garante mais flexibilidade durantes pedaladas, além de tecido com tecnologia que permite absorção de suor e resistência a umidade, ou chuva leve.

Divulgação: Parker Dusseau
Divulgação: Parker Dusseau
Divulgação: Parker Dusseau
Divulgação: Parker Dusseau

Para completar faixa refletivas, que dispensam o uso de coletes, fitas externas e barras elásticas para proteger a bainha da corrente, integram o look. Massa não? O preço não é nada cool: um terno da grife não sai por menos de 800 dólares.

.

Mesmo assim vale o investimento para quem precisa estar impecável.

www.parkerdusseau.com/

Esse artigo sobre o terno para bicicleteiros foi publicado por mim originalmente no Belo Horizonte Cycle Chic.

Fontes: Catraca Livre e Parker Dusseau.

Clique aqui e veja todos os posts do colunista Gil Sotero
COMPARTILHAR
Artigo anteriorBanco com bicicletário integrado
Próximo artigo[Curiosidade] Kaiser Radler: a cerveja inspirada nos ciclistas!
Gil Sotero é jornalista e designer bicicleteiro. Escreve nos blogs BH Cycle Chic (http://bhcyclechic.wordpress.com) e Bicicleta Bege (http://bicicletabege.wordpress.com). Criou a marca Catraca Verde que faz acessórios para ciclistas urbanos. É idealizador do Clube Bicicleta Vintage e do Ciclo Bazar de Rua em Belo Horizonte.

DEIXE UMA RESPOSTA