Cicloturismo: Pedal Serranópolis do Iguaçu até as Cataratas

0
11
Ponte sobre o rio

Por Fabiano Gustavo Bülow

Buenos dias, buenas tardes ou buenas noches, aqui estou eu pra tentar descrever um pouco do passeio rumo as Cataratas do Iguaçu, que realizei no dia 09/02/2013.Como eu estava me programando a vários dias pra fazer esse passeio eu já havia olhado varias vezes no Google Earth o possível trajeto que levaria até as Cataratas. Levei anotações com o trajeto, levei barras de cereais, e o essencial que é a água.

De Serranópolis do Iguaçu até as Cataratas

Então, como eu tinha planejado, acordei dia 29 as 05:00 da manhã. Olhei pela janela e vi que o tempo não estava dos melhores, e resolvi dormir mais um pouco até as 6:30, nesse horário levantei e tomei uma banho pra espantar a preguiça, em seguida tomei um belo café da manha, peguei a bike e cai na estrada.

Serranópolis do Iguaçu
Primeira parada em São Miguel do Iguaçu

Segui rumo a Medianeira, pegando a BR-277 até chegar em São Miguel do Iguaçu, então segui sentido São Jorge. Chegando lá parei em um posto pra pedir informação sobre como se chegava na estrada Beira Parque Nacional do Iguaçu, e as informações foram desanimadoras rsrsr. Um dos caras me chamou de louco, e o outro me deu a sugestão de voltar pra casa, mesmo assim segui o pedal com as minhas anotações em mãos, segui por uns 8 km por estrada de calçamento, até pegar uma estrada que acabou em uma fazenda. Essa foi a primeira vez do dia que eu tinha pego a estrada errada, então voltei e encontrei um pessoal trabalhando no plantio, e novamente me falaram pra seguir reto naquela estrada que mais adiante eu poderia pedir mais informações.

Serranópolis do Iguaçu
.

Quando eu vi esta bendita placa não exitei em seguir rumo ao parque, pena que não deveria ter feito isso, ai foi mais uma vez que eu peguei a estrada errada, e lá se foram mais uns 10 km perdidos, mais nesse trajeto foi legal pois avistei um bando de macacos no Parque Nacional , pena que não deu pra tirar fotos por que são muito ligeiros.

Cilo na linha Indianópolis
Cilo na linha Indianópolis

Chegando na Linha Indianópolis mais uma vez peguei uma estrada errada, e fui para dentro de uma fazenda onde encontrei uma equipe de pesquisadores do IBAMA. Eles me informaram que aquela fazenda não daria acesso ao PNI. Segui viajem até chegar na Fazenda Santo Antonio do Iguaçu, uma propriedade particular onde é necessário a autorização pra poder passar por lá. Até que enfim, logo após essa fazenda, cheguei na estrada Beira Parque, também como é conhecida Estrada velha de Guarapuava. Assim, percorrendo mais alguns km até chegar na Trilha Linha Martins, um atrativo do Macuco Safári. Pelo que eu percebi ainda não esta liberado pra visitação, mesmo assim peguei a bike e fiz essa trilha em meio às arvores, uma descida bem interessante até chegar em um rio que eu não sei o nome, mas sei que lá eu aproveitei pra beber uma água fresca e me ”lavei” um pouco.

Entrada da Trilha Linha Martins
Entrada da Trilha Linha Martins
Ponte sobre o rio
Ponte sobre o rio
Perceba o contraste
Perceba o contraste
Local com bancos para descanso
Local com bancos para descanso

Depois dessa parada os ânimos começaram a voltar. Não me recordo com certeza, mas calculo que já faziam mais de 5 horas que eu estava pedalando sob o sol e poeira. Então parei novamente eu uma fazenda pra pedir um pouco de aguá. Fui recebido por dois trabalhadores que ficaram interessados em ouvir sobre o meu trajeto, e fiquei ali conversando com eles durante uns 30 minutos. Eles me falaram que faltava mais uns 25 a 30 km até chegar nas Cataratas, então me despedi e agradeci por terem me cedido um pouco de água.
Com a aproximação do aeroporto eu já conseguia ouvir o barulho das turbinas dos aviões. Isso me deu um ‘gás’ a mais pra seguir em frente. Nessa hora eu já estava exausto, já estava começando a “arregar” nas subidas. Pedi informação para um carro que passou e o cara me disse que eu estava a 1,5 km do estacionamento das Cataratas. Completando 130km em 8 horas de pedal, confesso que cheguei acabado no Hostel. Uma dica muito importante pra quem esta afim de fazer uma loucura como eu fiz (de sair sem rumo): se prepare com muita aguá, afinal sofrer por desidratação não é nada bom, vão por mim que eu sei o que eu estou falando rsrrs

Recepção do Hostel Paudimar Campestre
Recepção do Hostel Paudimar Campestre
Nem pude aproveitar a piscina
Nem pude aproveitar a piscina
Jardim do Hostel
Jardim do Hostel
' Paz e Alegria':' será que precisamos de algo mais?
‘ Paz e Alegria’:’ será que precisamos de algo mais?
Enfim cheguei no meu objetivo do final de semana
Enfim cheguei no meu objetivo do final de semana

E pra terminar o final de semana, peguei uma carona até a rodoviária de Foz do Iguaçu com uma Combi ano 1982 (rsrsrs). Da rodoviária segui até Medianeira e depois pedalando até chegar em casa. Olha que foram sofridas essas ultimas pedaladas!

totalizando 130 km saindo de Jardinópolis até o estacionamento das Cataratas
totalizando 130 km saindo de Jardinópolis até o estacionamento das Cataratas

Não posso deixar de agradecer às pessoas que deram informações, ou aguá e em especial ao pessoal do Hostel Pudimar Campestre. A partir do momento que cheguei lá, me atenderam muito bem e ficaram a disposição se eu precisasse de algum medicamento (pois eles viram que a minha situação não era das melhores).

O Hostel Paudimar uma ótima opção pra passar o final de semana, apenas 7 km das Cataratas

Convido todos os leitores do Até Onde Deu pra Ir de Bicicleta a conferir outros relatos no meu Blog: http://ciclismobeiraparque.blogspot.com.br/

Quer mais dicas de roteiros para cicloturismo? Clique aqui e veja nossa lista completa de relatos de viagens.

[Nota do blog:] se você vai pedalar pelas cidades desse roteiro, pode consultar campings, hostels, pousadas e hotéis nos links abaixo:

*          *          *

Quer compartilhar seu relato com milhares de ciclistas e cicloturistas? Faça como o Fabiano. Envie seu relato de viagem para o email contato@ateondedeuprairdebicicleta.com.br que publicaremos e divulgaremos aqui no blog!

COMPARTILHAR
Artigo anteriorComeçando a pedalar longas distâncias
Próximo artigoLuvas para ciclismo: saiba escolher as melhores
Até Onde VOCÊ Foi? é um projeto do blog que divulga - e premia - histórias inspiradoras das pessoas e suas bicicletas. As primeiras pedaladas, sua última viagem de bike, os treinos e competições, a descoberta de uma nova forma de se locomover pela cidade... O texto é de autoria do leitor indicado no início do post, e as informações e opiniões contidas são de responsabilidade do mesmo. Que tal compartilhar sua história com milhares de leitores e concorrer a prêmios? Acesse ateondedeuprairdebicicleta.com.br/voce e participe!

DEIXE UMA RESPOSTA