Dicas: começando a pedalar uma bicicleta roda fixa

25
41

Pouco mais de 40 dias depois de comprar Tiffany, minha bicicleta roda-fixa, resolvi fazer um breve relato da minha nova experiência. Foram +- 500 km pedalados nesse tempo, em média 3x por semana, sempre entre 1 hora e 1 hora e 30 minutos de pedalada. Se você já pedala ou pensa em começar a pedalar uma bicicleta roda fixa, essas dicas podem ser úteis.

.

1 – Acostumando com a bicicleta roda fixa

Esse é o ponto mais difícil para se acostumar. Quem pedala bikes com roda livre percebe, logo nas primeira pedaladas de uma fixa, como é normal ficar com o pedal parado ou mesmo girar o pedal pra trás. Esse primeiro aprendizado é difícil porém rápido, pois você será constantemente lembrado através de um tranco no joelho que “sim, o pedal não para de girar”. Então a dica é aproveitar a inclinação do  terreno (se possível), ir diminuindo o giro do pedal levemente, até que você possa parar a bike sem trancos e sem forçar muito a articulação dos joelhos.

Dica de segurança: eu comecei a pedalar (e ainda pedalo a maior parte do tempo) a noite, em uma ciclovia plana e tranquila. Domine bem a bicicleta antes de se arriscar por trechos mais movimentados. Se for fazer isso, aconselho colocar freios na bicicleta (veja abaixo o item sobre segurança).

2 – Postura de bike speed

Pra mim que sempre pedalei em moutain bikes, híbridas ou dobráveis, foi outra novidade. Mas essa bem fácil de adaptar. Muito gostoso pedalar em um apostura mais agressiva, sentir a velocidade da bike. Já tô com vontade de ter uma speed também! Vale lembrar que muitas bicicletas roda fixa possuem o guidão reto ao invés do guidão curvo.

3 – Segurança em primeiro lugar

Nos poucos momentos em que enfrentei trechos de trânsito com minha roda fixa, senti que estava propenso a mais situações de risco do que quando comparado com uma bicicleta com roda livre, freios etc. Mas, como não queria ficar só no vai e vem da ciclovia, resolvi seguir a dica de um leitor aqui do blog e colocar um freio na minha bicicleta (obrigado Fernando Norte!).

Fiz isso há umas 2 semanas e me sinto muito mais seguro! Já comecei a encarar alguns trechos na cidade, em dias e horários de menor movimento. Minha bicicleta tinha furação apenas para o freio dianteiro, e após alguns testes na oficina consegui adaptar o freio Sora, da Shimano, com uma manete simples na parte mais baixa do guidão (detalhes nas fotos).

.

Dica: Outra possibilidade interessante são os cubos com sistema de contra pedal. Assim, ao forçar o pedal para trás (ele não gira, apenas trava) o ciclista realiza a frenagem.

4 – Pernas, pra que te quero

Depois de muita ralação, a hora a parte boa! Depois de muito giro, dos freios, e de ficar mais confiante com a bicicleta roda fixa, você percebe também que seu desempenho físico vai melhorando bastante. Especialmente no meu caso, que resolvi encarar umas subidas com ela. Agora que tenho os freios pra controlar as decidas, tenho gostado de fazer alguns trechos em aqui em Belo Horizonte, como a subida da Avenida Brasil até a Praça da Liberdade (foto), entre outras. Minha curtição é não só colocar a bike no trânsito, em trechos diferentes, como também forçar as pernas na subida pra ver se dou conta. Cada um com sua mania né? Mas acelerar na descida depois vale todo o esforço.

Subida da Avenida Brasil, em Belo Horizonte.

5 – Advertência

Depois dos primeiros 500 km estou cada vez mais empolgado! Conversando com outros conhecidos que pedalam bicicletas roda fixa fui advertido e começo a concordar: pedalar uma bicicleta roda fixa pode causar dependência, vício, “fominhagem” e eventuais crises de abstinência no caso de ficar muito tempo sem andar.

E você? tem alguma outra dica pra quem quer pedalar uma bicicleta roda fixa? Conte pra gente aqui nos comentários. E aguarde os novos posts sobre as fixas aqui no blog!

25 COMENTÁRIOS

  1. Olá André!
    Olha se contei direitinho aqui a relação dela é 48×15. Sobre se dá pra encarar ou não, depende das pernas né? Se for pra ter uma bike pro dia a dia em BH, com certeza uma com marchas (que eu já tenho). Mas tem sido uma grande curtição pegar a fixa e encarar algumas subidas. Eu costumo ficar em trechos mais planos, mas já tô encarando alguns trechos menores de subidas como a Rua Piauí (na ciclovia), a subida da Av. Brasil. Minha próxima meta é tentar a Av. Assis Chateaubriand. Mas sempre com boas retas e descidas entre as subidas. Quem sabe em breve uma galera não se junta pra passear de fixa aqui em BH?
    Um abração e boas pedaladas!

  2. 48×15 é osso! rs
    estou querendo montar uma coisa doida, pegar um quadro de fixa e botar um cubo com marchas. perde a idéia do contrapedal, mas ganha a agilidade do quadrinho… e o estilo. : )

  3. Estou começando com uma fixa também. Me identifiquei com tudo o que você escreveu! Eu pedalei mountain bikes por 7 anos, para ir trabalhar, ao mercado, faculdade, etc. Com esse tempo de pedal criei muitos vícios e a roda fixa já conflitou com vários deles! Mas é isso o que você concluiu: a roda fixa causa vício. A novidade é divertida! Acho que vou me estrepar com as subidas que tem aqui em São Paulo, mas vamo que vamo! 😀

  4. Isso mesmo Fábio! Aqui em BH as subidas também são um desafio hehehe
    Muito obrigado por sua mensagem. Um grande abraço e boas pedaladas com a fixa! 🙂

  5. Demais André!
    Eu curto muito encarar algumas subidas com minha roda fixa. Tem umas que, no final, o coração parece que vai sair pela boca!
    E o condicionamento físico melhora demais mesmo!

    Abração e boas pedaladas!

  6. Legal o site.

    Só uma coisa: freio contra-pedal é usado apenas em roda livre.

    Na roda fixa ou se trava os pedais (skid); ou se diminui a velocidade da pedalada; ou se usa o freio dianteiro.

    Abs

  7. Tenho pedalado fixa há sete meses em SP, realmente é viciante.

    A relação que você usa parece pesada (48 / 15 = 3,2) pra BH, que até onde vejo dizerem é só ladeira mas se você dá conta quer dizer que a pedalada tá boa.

    Eu uso 46 x 17 (2,7) e to querendo deixar um pouco mais pesada.

    Abs

  8. Olá JP
    Essa relação da minha bike é mais pesada mesmo, não pensei em mexer ainda porque ela tá linda assim original. Além disso, aqui em BH temos muitos percursos com retas ou subidas pouco íngremes.

    Um grande abraço!

  9. Olá “xará”, muito obrigado por seu comentário.
    Essa bike é uma Felt TK 4130. É um modelo novo mas com design “retrô”, inspirado nas bikes italianas das antigas. É uma bike mais pra velódromo, ou seja, a relação dela é 48-15, enquanto as fixas mais usadas no trânsito e no bike polo possuem relações mais leves. Uso no trânsito também, mas exige mais das pernas. Comprei essa bike em uma viagem que fiz pra fora (Nova Iorque) em 2012. Trouxe embalada na caixa dela mesmo, que foi devidamente inspecionada no aeroporto de lá.
    Grande abraço e boas pedaladas!

  10. Olá Átila, obrigado por seu comentário. Comprei essa bike em uma viagem que fiz pra fora (Nova Iorque) em 2012. Trouxe embalada na caixa dela mesmo, que foi devidamente inspecionada no aeroporto de lá.
    Grande abraço e boas pedaladas!

  11. Olá, pretendo ir a ny em 2015, aonde é bom para comprar esse tipo de bike? Quantos dólares devo separar para comprar uma razoavelmente boa para uso urbano ? Quanto pagou a cia área para trazê-la ? Obrigado

  12. Olá Jorge. Quando estive lá fiz esse post com 10 bike shops em Nova Iorque, bem detalhado com preços e tipos de bikes você encontra. Tudo depende do gosto e de quanto quer investir em uma bike. Dê uma olhada aqui nesse link: http://ateondedeuprairdebicicleta.com.br/guia-10-bike-shops-em-nova-iorque/
    Quanto ao transporte pela Cia Aérea não paguei nada, pois a franquia de bagagem me permitia dois volumes. Voltei apenas com ela e minha mala.
    Um abraços e boas pedaladas!

  13. Ei Leo. Comprei essa bike na Paragon Sports, em Nova Iorque. Pesquisei bastante e fiz um Guia inclusive com 10 bike Shops bem legais de lá. Pode conferir aqui ó:

  14. Olá André, tudo bem? Indica algum lugar em BH para montar uma fixa?

  15. Ei Marco Túlio, obrigado por sua mensagem.

    Eu sugiro o Atelier Bicicine (pode procurar eles com esse nome mesmo no Facebook). É só falar com o Vinícius Túlio.
    Um abração e boas pedaladas!

  16. Muito bom o texto. Também sou de Belo Horizonte e estou pensando em investir em uma fixa. Bastou pesquisar uma bike por um tempo com muita indecisão para apaixonar pelas fixas (eu tinha uma dessas bikes meia boca com a qual não rodei nem 100km, imagino… logo que me desfiz dela comecei a procurar uma bike razoável para andar por aí e fiquei na pesquisa por uns 3 ou 4 meses. Já havia desistido quando depois de mais ou menos um ano voltei com a ideia e ao ver alguns videos de como a fixa pode ser uma escolha sensata decidi por ela mesmo!)

    Agora é pesquisar a melhor fixa e uma boa relação, eu não tenho muita força nas pernas ainda, vou penar, mas meu trajeto de treino inicial vai ser Caiçara-Pampulha, o que eu acho ser possível no momento. Não vejo a hora!

  17. Olá amigo, estou louco para montar minha single speed e quero muuuuuuito montar uma com uma dessas rodas estilo vintage(pra mim) de flange alta com a flange branca, ou uma tipo essa sua, muito bonita essa cor amadeirada por sinal, bela bike. Porém não encontro em lugar nenhum, sabe me informar por gentileza onde encontro um par de rodas(aros) dessas que nem as suas?

  18. Olá Matheus, obrigado por seu comentário. Essas rodas vieram com a bike, e é um modelo importado. Vale procurar em oficinas e locais que são especializados em roda fixa / single speed.
    Um abraço e boa sorte na sua busca!

DEIXE UMA RESPOSTA