Indo para o trabalho de bicicleta

0
393
.

Ir para o trabalho de bicicleta é uma excelente alternativa para quem se cansou do trânsito das cidades, e pretende encará-lo de outra forma. Claro que não é tão simples quanto parece, afinal, encarar o trânsito das cidades de bike exige alguns cuidados. Mas isso é assunto pra outro post, agora vou me dedicar a questão do tempo e da “estrutura” necessária para a empreitada.

No meu atual emprego dei muita sorte. Tenho um ônibus que passa em frente de casa e me deixa em frente o trabalho. Leva 20 minutos com trânsito livre, com o trânsito mais chato pode chegar a 30, 35. Já é uma ajuda para quem não tem carro, mas pensando na bike as coisas ficam ainda melhores. Da minha casa ao trabalho são 4,2 km (de bike). Levo em média 14 minutos pr ir e 12 pra voltar. Quando saio a noite e volto de ônibus, se falha a correria pra chegar no ponto as 22:20 (que é a hora que saio do trampo),  são 25 minutos só esperando! E a vontade de chegar em casa depois de um dia inteiro de trabalho deixa a espera ainda mais difícil. Isso é um baita incentivo quando penso em ir de ônibus ou bike.

De bicicleta perdemos ainda algum tempinho com troca de roupas, banho e estacionamento, mas nada comparado ao tempo (e a sensação incômoda) de esperar o ônibus (princialmente em bairros e regiões que não são bem atendidas, por um serviço pelo qual pagamos caro). Além disso, aqui no trabalho também tem vestiário e bicicletário, um verdadeiro adianto. Na ida, com trânsito mais movimentado, um pouco de atenção e a sensação de já chegar no trabalho ligado. Na volta, a noite, sempre bem sinalizado, vou relaxando e curtindo as ruas mais vazias.

Maraviha!

Se você se animou, ai vai a campanha (voz do locutor): “Analise a distância e o melhor trajeto. Converse com seu chefe e peça estrutua de apoio (1 chuveiro e local para guarda da bike). Faça o teste você também e compare. Va de bike para o trabalho!”

P.S. (adicionado as 16:07 hs): Para quem se interessa por questões sobre a bicicleta como meio de transporte e mobilidade urbana, vale uma visita ao site da ONG Transporte Ativo (também na nossa seção de links).

DEIXE UMA RESPOSTA