Grupos de pedal feminino: 6 opções para as mulheres ciclistas!

4
1434
Pedal de Salto Alto
Pedal de Salto Alto, grupo de Belo Horizonte. Foto: Facebook Pedal de Salto Alto

As mulheres estão cada dia mais dominando as ruas de diversas cidades e usando a bike para se empoderarem ou para superarem desafios pessoais.

Aliás, o número de mulheres que pedalam é uma das formas de medir o quanto uma cidade é “amiga” do ciclista, de acordo com um artigo publicado pela Comunidade Científica Americana.

Veja também: O mercado das bicicletas para mulheres: muito além dos clichês

Afinal, se a cidade é segura o suficiente para respeitar a mulher ciclista – que enfrenta muito mais barreiras para pedalar do que os homens, ela é capaz de respeitar muito melhor os ciclistas de forma geral.

Um dos propulsores das mulheres no pedal (e que ajudam a dar mais segurança e autonomia para essas ciclistas) são os grupos de pedal feminino que já se espalham por todo país.

Quer saber mais? Continue a leitura!

Principais grupos de pedal feminino em todo o país

grupos de pedal feminino
Direitos autorais: stockbroker / 123RF Imagens

Uma pesquisa inédita feita pela Associação de Ciclistas Urbanos de São Paulo em 2016 apontou que apenas 6% das mulheres pedalam pelas ruas da capital paulista. Um número ainda pequeno e causado por diversos motivos, como:

  • pedalar na capital é muito perigoso;
  • risco de acidentes;
  • medo do trânsito;
  • risco de assalto;
  • falta de infraestrutura;
  • risco de colisão ou atropelamento.

Para reduzir esses problemas, que também são sentidos por muitas mulheres em outras cidades pelo país afora, é que os grupos de pedal feminino têm surgido. Auxiliando coletivamente a melhorar a confiança das mulheres ciclistas e também o respeito dos demais motoristas que compartilham a via.

Veja alguns grupos de pedais feminino que você precisa conhecer.

1- Grupos de pedais em São Paulo

grupos de pedal feminino saia na noite
Saia na Noite, de São Paulo. Foto: Facebook Saia na Noite

Apesar dos dados mostrados na pesquisa, a capital paulista é uma das cidades que mais possui grupos de pedais femininos, com destaque para:

  • Saia na Noite: esse é um grupo de pedal extremamente tradicional em São Paulo, com 26 anos de existência. O grupo foi criado e organizado por Teresa D’Aprile e as meninas se encontram todas as semanas para pedalar, além de promoverem pedais temáticos em datas especiais, como no Dia Internacional da Mulher;
  • Pedalinas: as pedalinas existem desde 2009 e é formado por mulheres que usam o pedal para trabalhar, para o lazer ou para explorar a capital paulistana. Além dos pedais, elas ainda promovem outras atividades como oficinas de mecânica básica, cicloviagens e ajudam quem deseja começar a pedalar;
  • Pedala Itaquera: a zona leste de São Paulo também tem seu próprio grupo de pedal feminino, visando estimular que mais mulheres usem a bicicleta como forma de exercício e de lazer, atendendo iniciantes, intermediárias e avançadas no pedal.

2- Pedal de Salto Alto

A capital mineira é tomada pelas meninas do Pedal do Salto Alto desde 2010. Ele surgiu buscando incentivar as mulheres a usarem a bicicleta para diversas modalidades, como esporte, lazer e transporte.

Algumas das suas idealizadoras são: Marcela Abreu, Maria Augusta, Poliana Figueiredo, Denise Cruzeiro e Simoni Rodrigues.

Pedal de Salto Alto
Pedal de Salto Alto, grupo de Belo Horizonte. Foto: Facebook Pedal de Salto Alto

Para participar dos passeios organizados pelo grupo é preciso seguir algumas regras, como não correr muito (para não machucar ou provocar acidentes) e, claro, estar disposta a pedalar com mulheres de todos os níveis, desde as que estão começando até as mais experientes.

3- Grupos de pedal em Salvador

grupos de pedal feminino Meninas do pedal salvador
Meninas no Pedal, grupo de Salvador – BA. Foto: Facebook

A capital baiana não poderia ficar de fora da nossa lista de grupos de pedal feminino. Nós destacamos duas iniciativas:

  • Meninas no Pedal: uma comunidade criada para incentivar as mulheres a pedalar, com diversas atividades e campanhas como o Outubro Rosa. A fundadora é Karina Silveira e os encontros oficiais acontecem nos domingos de manhã e nas segundas à noite;
  • Meninas ao vento: o grupo foi criado para incentivar as mulheres a usarem a bike como meio de transporte, buscando tornar a cidade mais humanizada. No Meninas ao Vento todas pedalam com roupas comum do dia a dia, buscando aproximar ainda mais as pessoas das bikes. O grupo nasceu em 2011.

4- Cíclicas

Foto: ciclicas.wordpress.com

O grupo de pedal Cíclicas é de Porto Alegre, capital gaúcha e fez a sua estreia nas ruas da cidade em janeiro de 2011, dois dias antes do atropelamento em massa durante a Massa Crítica de Porto Alegre.

O grupo surgiu buscando incentivar o uso do pedal pelas mulheres de todas as faixas etárias, promovendo tanto a capacitação para o uso da bike, como auxiliando as ciclistas a conquistarem a segurança necessária para pedalarem nas ruas e no trânsito.

As cíclicas se reúnem sempre no primeiro domingo do mês, nos Arcos da Redenção. No inverno, os encontros acontecem as 15h e no verão as 17h.

5- Saia de Bike

Curitiba também tem o seu grupo de pedal feminino, o Saia de Bike, formado em 2011. Uma das diferenças desse grupo é que, embora promova discussões típicas do universo feminino, ele também agrega outros gêneros.

Ou seja, no Saia de Bike, homens e mulheres são aceitos e podem pedalar juntos pela cidade. Além disso, o grupo ainda promove discussões sobre outras questões que envolvem o pedal, como a possibilidade de pedalar grávida.

 

6- Batom Bikers

Brasília é a “sede” da Batom Bikers, um grupo com mais de 2 mil membros e que surgiu buscando incentivar o uso da bicicleta pelas mulheres na capital do país. O grupo também promove eventos voltados ao ciclismo e ao incentivo da prática.

Os passeios acontecem na cidade e também em trilhas até cicloviagens, agrupando ciclistas de todos os níveis.

Mais grupos de pedal feminino pelo país

Veja outros grupos de pedal feminino espalhado pelo Brasil:

  • Saia na Bike: grupo da cidade de Guanabi, na Bahia. As meninas pedalam todas as terças e quintas a partir das 18 horas. É permitido levar os maridos, os namorados, os irmãos e os amigos. Aos domingos, os passeios acontecem as 15h;
  • Amazonas de Bike: é o grupo de Manaus, no Amazonas, formado em parceria com o Pedala Manaus. Aqui, também é permitido levar os amigos, os namorados, os maridos e os irmãos para os passeios;
  • Pedalinas Potiguares: grupo de ciclistas de Natal que existe desde 2012 e que surgiu pedalando em grupos mistos de homens e mulheres. Além dos passeios, as meninas também organizam eventos como oficina de mecânica, bike anjos e muito mais;
  • Pedal das Meninas: grupo de mulheres de Passos, em Minas Gerais, fundado em 2012 e que busca incentivar a prática do MTB entre as mulheres de forma segura e divertida;
  • As pedaleiras: coletivo de ciclistas de Pernambuco, com atividades variadas em todo o estado e que existe desde 2013. A ideia é inserir a mulher pernambucana no mundo do cicloativismo, usando a bike como forma de emancipação feminina;
  • Elas no Pedal: grupo de Balneário Camboriú, em Santa Catarina. As meninas se reúnem todas as últimas quartas do mês, as 20h,na Praça Almirante Tamandaré e é aberto a mulheres de todas as idades;
  • Saia no Pedal: grupo formado pelas ciclistas de Goiânia e criado em 2007, que busca tanto a prática esportiva, como a criação de laços de amizade entre as ciclistas;
  • Pedal Rosa: é formado por ciclistas de São José, em Santa Catarina, desde 2015 e busca incentivar a prática do MTB entre as mulheres.

E, então, gostou de descobrir alguns grupos de pedal feminino? Tem outras dicas para incluirmos neste post? Deixe um comentário pra gente contando um pouco mais do seu grupo de pedal!

4 COMENTÁRIOS

  1. Boa tarde. Sou de Caetité-Bahia, me chamo Silvia Bacelar.Aqui temos um grupo de pedal feminino chamado BRANDINHAS, fazemos muitos pedais pela zona rural da cidade. Andamos muito em estradão subindo e descendo ladeiras.nosso grupo tem umas 15 mulheres. Agora mesmo dia 11 de março iremos para uma cidade vizinha chamada Rio de Contas. São120km até chegarmos lá.

  2. Sou de Pacaembu interior do estado de São Paulo temos um grupo também que se chama Divas do Pedal

  3. Meninas, que bacana essas experiências. Adoraria que a minha cidade também tivesse um grupo feminino!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here