Brasil Ride 2019: Etapa Rainha indica favoritos ao título

Mas a competição ainda está aberta! Veja o que rolou no dia de hoje

Foram 104 km na maior altimetria da Brasil Ride, 2.600m, a prova que é considerada como a mais dura foi vencida por Tiago Ferreira e Hans Becking, da DMT Racing Team, que vem mostrando estar em um patamar acima dos demais competidores.

A dupla da DMT Racing Team surpreendeu a todos e venceu a prova com certa tranquilidade, já que conseguiram fazer a etapa em impressionantes 4h38min39, colocando mais de 3 minutos para a dupla que chegou em segundo e, todos nós sabemos, que 3 minutos na prova rainha da Brasil Ride é uma verdadeira eternidade.

Henrique Avancini e Manuel Fumic ficaram em 3º e se distanciaram um pouco da briga pela liderança do campeonato em geral, que tem como donos da camisa amarela justamente Tiago Ferreira e Hans Becking.

A etapa rainha se destaca por outros pontos além da altimetria insana e eu me refiro ao nível das subidas, que são extremamente inclinadas e demandam muita técnica atrelada a força

No masculino, vantagem de Tiago e Hans é ampliada

Pódio masculino da Brasil Ride 2019 etapa rainha. Foto: (Marcelo Rypl / Brasil Ride)

A rivalidade entre as duplas Tiago Ferreira e Hans contra Henrique Avancini e Manuel Fumic só tem aumentado, é bem verdade que muito disso é por conta da alta performance de todos e, evidenciando isso, Tiago Ferreira pontuou mais sobre a dupla que chegou em 3º do que sobre a dupla que ficou com a vice-campeonato na etapa rainha:

“ A etapa foi bastante rápida desde o início, porque Avancini e Fumic quiseram manter um ritmo inconstante. Em todas as subidas eles forçavam muito, mas felizmente Hans e eu estávamos bem e conseguimos segui-los de forma tranquila.”

Se engana quem pensa que desde o começo e durante todo o percurso Tiago e Hans tiveram vida fácil, nada disso! A dupla europeia só conseguiu uma relativa tranquilidade depois da passagem da Subida das Sete Voltas. A partir desse ponto, ficou cada vez mais difícil de acompanhar os dois. 

Diante desse cenário, com Tiago Ferreira e Hans Becking abrindo cada vez mais vantagem na classificação geral, não surpreenderia ninguém que eles dosassem o ritmo a partir de agora com o objetivo de ficar sempre no pódio.

A avaliação de Avancini mostra bem como foi a prova, a disputa particular com os líderes e a dificuldade da etapa rainha da Brasil Ride:

“Foi uma etapa brutal, realmente pesada. Subimos o ritmo bem cedo e até o primeiro ponto de apoio já havíamos feito algumas acelerações. Na primeira subida dura, fiz um ataque decisivo e chegamos abrir algumas vezes do Tiago e do Hans, que era nosso alvo, mas nunca um gap considerável para sair do visual deles, ou seja, mais de 10 segundos. Apesar de nós descermos melhor, eles desciam atrás comigo e Fumic de referência, o que torna o desafio mais fácil. Na Subida das Sete Voltas, o Hans subiu bem e controlei um pouco, quando o Tiago reagiu bem na segunda parte da montanha. Nos últimos 30 km, o Manuel preferiu trabalharmos com o Kulhavy e o Ulman, mas o resultado não foi o desejado”

No Feminino, mais uma troca de liderança

Jaqueline e Danilas durante a etapa rainha. Foto: (Ney Evangelista / Brasil Ride)

Pela elite feminina, as coisas estão mais acirradas e, a camisa laranja ganhou donas novas, mas nem tão novas assim já que Jaqueline Mourão e Danilas Ferreira já tiveram a honra de usar a camisa nessa Brasil Ride.

A dupla Sense Factory Racing / Tropix Brasil venceu a etapa rainha – de maneira mais apertada – e, como resultado, obteve a liderança do campeonato e abriu uma distância muito confortável na classificação geral para Viviane Favery e Tania Pickler.

Classificação da Brasil Ride 2019 etapa rainha

Masculino

1- Tiago Ferreira (POR) / Hans Becking (HOL) – 4h38min39
2- Jaroslav Kulhavy (CZE) / Matous Ulman (CZE) – 4h41min52
3- Henrique Avancini (BRA) / Manuel Fumic (ALE) – 4h41min53
4- Lukas Kaufmann (BRA) / Konny Looser (SUI) – 4h52min10
5- Edson Rezende (BRA) / Nicolas Sessler (BRA) – 4h52min10

Feminino

1- Jaqueline Moura (BRA) / Danilas Ferreira da Silva (BRA) – 6h23min32
2- Karen Olímpio (BRA) / Ilda Pereira (BRA) – 6h24min27
3- Viviane Favery (BRA) / Tania Clair Pickler (BRA) – 6h28min53
4- Letícia Cândido (BRA) / Hercília Najara (BRA) – 7h11min12

Classificação Geral da Brasil Ride após a etapa rainha

Masculino

1- Tiago Ferreira (POR) / Hans Becking (HOL) – 13h23min02
2- Henrique Avancini (BRA) / Manuel Fumic (ALE) – 13h30min49
3-  Jaroslav Kulhavy (CZE) / Matous Ulman (CZE) – 13h39min25
4- Lukas Kaufmann (BRA) / Konny Looser (SUI) – 13h55min11
5- Kristian Hynek (CZE) / Martin Stosek (CZE) – 13h55min45 

Feminino

1- Jaqueline Mourão (BRA) / Danilas Ferreira (BRA) – 18h08min39
2- Viviane Favery (BRA) / Tania Clair Piclker (BRA) – 18h12min54
3- Karen Olímpio (BRA) / Ilda Pereira (BRA) – 18h19min22
4- Letícia Cândido (BRA) / Hercília Najara (BRA) – 19h06min06

A disputa continua

Como fica claro, tanto no masculino quanto no feminino, os líderes aos poucos começam a se destacar e, para rivalizar com eles, os outros bikers vão ter de se doar o dobro. Se a quarta etapa é marcada pela altitude brutal, a etapa de amanhã é mais longa em quilometragem…

Serão 140km de volta a Arraial d’Ajuda. E você pode acompanhar tudo pelo YouTube da Brasil Ride. E os resultados de cada etapa você acompanha aqui no Até Onde Deu pra Ir de Bicicleta.

Brasil Ride 2019 3ª etapa: Avancini e Fumic vencem em Guaratinga

Brasil Ride 2019 3ª etapa: no feminino, vitória de Letícia Cândido e Hercília Najara.

A terceira etapa da Brasil Ride, em Guaratinga, marca uma mudança drástica na paisagem baiana. Um solo com mais pedregulhos e cada vez menos praia marcam a prova, assim como uma quantidade enorme de single tracks, alguns até permeando plantações de cacau, deixando o cenário além de diferente, muito bonito.

Comparado com a segunda etapa, o 3º dia de provas é mais fácil, já que são 35 km, mas não é tão mamão com açúcar assim, já que os competidores tem que dar 2 voltas, e por isso, o percurso acaba ficando com uma distância entre 67 e 70 quilómetros, pelo menos na teoria… isso porque na prática, uma forte chuva na noite anterior a etapa estendeu um pouco o percurso.

No final das contas foram 75km em uma altimetria de 1.432m na 3º etapa, que marcou o retorno da dupla vitoriosa no prólogo, Henrique Avancini e Manuel Fumic, da Cannondale Factory Racing XC. No feminino, Letícia Cândido e Hercília Najara, da Audax Corinthians / Tripp Aventura também alcançaram a 2º vitória na Brasil Ride.

No masculino, decisão no sprint final

Chegada no sprint para Fumic e Avancini. Foto (Fabio Piva / Brasil Ride)

Henrique Avancini e Manuel Fumic realmente gostam de demonstrar o talento e, conseguiram abrir grande vantagem para os outros competidores ao longo da terceira etapa da Brasil Ride, mas talvez por um descuido, deixaram a distância encurtar na parte final da prova.

A briga pela camisa amarela realmente esquenta a cada momento e, com a queda de desempenho de Avancini e Fumic na reta final da terceira etapa, os atuais líderes da Brasil Ride, Tiago Ferreira e Hans Becking quase alcançaram, mas tiveram que se contentar com a segunda colocação por conta de 1 segundo.

Os resultados recentes só mostram como a Brasil Ride está equilibrada esse ano e tem essas duas duplas se destacando na elite masculina sempre conseguindo imprimir um ritmo bom atrelado a técnica, força e resistência! Quem será que vai levar a melhor no final das contas? A tendência é que essa disputa só esquente, escolha para quem torcer.

Tiago Ferreira deu uma declaração que pode preocupar um pouco Henrique Avancini e Manuel Fumic:

 “Desde o inicio o Avancini e o Fumic forçaram bastante o ritmo, mas o Hans e o eu tínhamos uma estratégia bem definida de segui-los e não forçar”

Já pensou? Se sem forçar Tiago Ferreira e Hans Becking ficaram 1 segundo atrás de Avancini e Fumic, imagina forçando o corpo ao máximo…

No feminino, vitória de Letícia Cândido e Hercília Najara

Festa no pódio feminino. Foto (Fabio Piva / Brasil Ride)

A tabela da Brasil Ride no geral conta com uma dupla nova na liderança! Antes, Jaqueline Mourão e Danilas Ferreira estavam com a camisa laranja, mas depois da terceira etapa, a dupla da Cannondale Brasil Racing / Soul Cycles, que é composta por Viviane Favery e Tania Pickler assumiu a ponta da prova.

Letícia Cândido e Hercília Najara venceram pela segunda vez nesta edição da Brasil Ride e, na terceira etapa conseguiram colocar 2 minutos de diferença na frente de Viviane e Tania.

Classificação da 3ª Etapa da Brasil Ride 2019

Masculino

1- Henrique Avancini (BRA) / Manuel Fumic (ALE) – 2h48min40
2- Tiago Ferreira (POR) / Hans Becking (HOL) – 2h48min41
3- Lukas Kaufmann (BRA) / Konny Looser (SUI) – 2h52min24
4- Jaroslav Kulhavy (CZE) / Matous Ulman (CZE) – 2h52min25
5- Sherman Trezza (BRA) / Guilherme Muller (BRA) – 2h52min26

Feminino

1- Letícia Cândido (BRA) / Hercília Najara (BRA) – 3h47min23
2- Viviane Favery (BRA) / Tania Clair Pickler (BRA) – 3h49min00
3- Karen Olímpio (BRA) / Ilda Pereira (BRA) – 3h49min49
4- Jaqueline Moura (BRA) / Danilas Ferreira da Silva (BRA) – 3h50min56

Classificação Geral da Brasil Ride após a 3ª etapa

Masculino

1- Tiago Ferreira (POR) e Hans Becking (HOL) – 8h44min22 
2- Henrique Avancini (BRA) e Manuel Fumic (ALE) – 8h48min55
3- Kristian Hynek (CZE) e Martin Stosek (CZE) – 8h57min32
4- Jaroslav Kulhavy (CZE) e Matous Ulman (CZE) – 9h01min01
5- Lukas Kaufmann (BRA) e Konny Looser (SUI) – 9h03min00

Feminino

1- Viviane Favery (BRA) e Tania Clair Piclker (BRA) – 11h44min01
2- Jaqueline Mourão (BRA) e Danilas Ferreira (BRA) – 11h45min06
3- Letícia Cândido (BRA) / Hercília Najara (BRA) – 11h54min54
4- Karen Olímpio (BRA) / Ilda Pereira (BRA) – 11h56min38

Próximo desafio: A Etapa Rainha

Essa sem dúvida é a etapa mais dura de todo o Brasil Ride. Só de ler já cansa, afinal, 100km são pedalados com a maior altimetria do Brasil Ride: nada mais nada menos que 2.600m!

São 3 serras bastante íngremes e, como se não bastasse isso, são longas, durando cerca de 2km cada. Obviamente é a prova que mais chama a atenção dos competidores pelo alto nível necessário e o desafio enorme que ela é por si só!

Prepare-se, a largada está prevista para amanhã 7h45 e a chegada deve acontecer por volta de 12h30. Você acompanha tudo no Youtube da Brasil Ride e os resultados e resumo da etapa aqui no Até Onde Deu pra Ir de Bicicleta. 

Brasil Ride 2019 2ª Etapa: Tiago Ferreira e Hans Becking vencem a etapa e assumem a liderança

A dupla abriu vantagem de 4min27s para a dupla Avancini / Fumic.

A 2ª Etapa da Brasil Ride 2019: Arraial d’Ajuda – Guaratinga foi dura e exigiu bastante dos atletas.

Durante a transmissão pelo YouTube da Brasil Ride, Mario Roma (idealizador da prova) comentou sobre a etapa de hoje: “A etapa de hoje se transformou em uma outra Etapa Rainha, que vai deixar bastante gente cansada logo no começo”.

A largada aconteceu debaixo de chuva para os 143km com 2.654 metros de altimetria acumulada, saindo de Arraial d’Ajuda com destino a Guaratinga. Depois de muitas montanhas, a chegada aconteceu após mais de 5 horas de prova e com muito calor.

No masculino, vitória e liderança provisória para Tiago Ferreira e Hans Becking

Pódio masculino da 2ª etapa da Brasil Ride. Foto: Rosita Belinky / Brasil Ride

A vitória ficou por conta da dupla Thiago Ferreira (POR) e Hans Becking (HOL). Tiago é especialista em etapas de longa distância. Este foi seu 4º ano seguido com vitória nesta etapa. A dupla apertou o ritmo a partir do km 50, abrindo boa vantagem e segurando até a linha de chegada. O tempo final da dupla foi de 5h10min49s, e garantiu a liderança da prova após a segunda etapa.

A disputa pela segunda colocação foi decidida na chegada. A dupla Jaroslav Kulhavy e Matous Ulman ficaram com a posição, com o tempo de 5h16min24s. Eles foram seguidos de Henrique Avancini e Manuel Fumic em terceiro, com o tempo de 5h16min26s.

Henrique Avancini comenta a segunda etapa

Manuel Fumic e Henrique Avancini na Brasil Ride 2019 2ª etapa. Foto: Josuefphoto

Em entrevista após a chegada, Avancini comentou o sobre os desafios do dia: “A etapa ficou mais dura com as modificações. Foi uma das etapas mais quentes da Brasil Ride que já enfrentei”.

Avancini falou também do desempenho de sua dupla e da estratégia para a prova. “Por volta do km 50 o Tiago e o Hans começaram alguns ataques e na última subida dura da parte mais rolada do percurso nós perdemos contato”

Segundo Avancini, ele e Fumic optaram por reagrupar com o pelotão para administar melhor a energia para as etapas seguintes. “É um prejuizo considerável pro Tiago e pro Hans, mas temos ainda 5 etapas”, declarou o campeão da edição do ano passado.

Na elite feminina, vitória de Viviane Favery e Tania Pickler

Pódio feminino da 2ª etapa da Brasil Ride. Foto: Rosita Belinky / Brasil Ride

A prova feminina foi também muito dura e segui a mesma intensidade da masculina. Em uma chegada decidida no sprint final, a dupla Viviane Favery e Tânia Pickler levaram a melhor com o tempo de 6h54min35s. Com esse resultado elas assumem o segundo lugar na classificação geral.

Apenas um segundo atrás a dupla Jaqueline Mourão e Danilas Ferreira da Silva fechou com 6h54min36s, e assumiram a liderança da prova na classificação geral, largando com a camisa amarela na etapa de amanhça (22/10).

O pódio da elite feminina foi completado com a dupla Raíza Goulão e Angelita Parra, que fecharam a etapa em 7h00min16s, assumindo também o terceiro lugar na classificação geral.

Classificação da 2ª Etapa da Brasil Ride 2019

Abaixo os 5 primeiros colocadas da Elite masculina e feminina.

Masculino
1- Tiago Ferreira (POR) / Hans Becking (HOL) – 5h10min49
2- Jaroslav Kulhavy (CZE) / Matous Ulman (CZE) – 5h16min24
3- Henrique Avancini (BRA) / Manuel Fumic (ALE) – 5h16min26
4- Kristian Hynek (CZE) / Martin Stosek (CZE) – 5h18min18
5- Edson Rezende Jr. (BRA) / Nicolas Sessler (BRA) – 5h18min18

Feminino
1- Viviane Favery (BRA) / Tania Clair Pickler (BRA) – 6h54min35
2- Jaqueline Moura (BRA) / Danilas Ferreira da Silva (BRA) – 6h54min36
3- Raiza Goulão (BRA) / Angelita Parra (COL) – 7h00min16
4- Karen Olímpio (BRA) / Ilda Pereira (BRA) –7h04min29
5- Letícia Cândido (BRA) / Hercília Najara (BRA) – 7h12min03

Classificação Geral da Brasil Ride após a segunda etapa

Abaixo os 5 primeiros colocadas da Elite masculina e feminina.

Masculino
1-Tiago Ferreira (POR) e Hans Becking (HOL) – 5h55min41
2-Henrique Avancini (BRA) e Manuel Fumic (ALE) – 6h00min14
3-Kristian Hynek (CZE) e Martin Stosek (CZE) – 6h04min09
4-Jaroslav Kulhavy (CZE) e Matous Ulman (CZE) – 6h05min07
5-Edson Resende (BRA) e Nicolas Sessler (BRA) –  6h05min17

Feminino
1-Jaqueline Mourão (BRA) e Danilas Ferreira (BRA) – 7h54min09
2-Viviane Favery (BRA) e Tania Clair Piclker (BRA) – 7h55min00
3-Raiza Goulão (BRA) e Angelita Parra (COL) – 7h59min45
4- Karen Olímpio (BRA) / Ilda Pereira (BRA) –8h05min05
5- Letícia Cândido (BRA) / Hercília Najara (BRA) – 8h09min14

3ª etapa promete mais emoção na disputa

A próxima etapa acontece amanhã (22/10) em Guaratinga. Serão 67km com 1.432m de altimetria acumulada. Você pode acompanhar pelo YouTube da Brasil Ride, e os resultados aqui no Até Onde Deu pra Ir de Bicicleta.

Prologo Brasil Ride 2019: confira os resultados da 1ª etapa

Prologo Brasil Ride 2019 marca o início da maior maratona de Mountain Bike do país. Confira os principais resultados.

A Brasil Ride começou hoje com sua já tradicional etapa de contra relógio: o Prologo. O percurso de 19,5km com a famosa descida da escadaria de Arraial D’Ajuda marcam o início dessa Maratona de 7 dias de Mountain Bike de mais alto nível.

Avancini e Fumic vencem na Elite Masculina

Manual Fumic durante o Prologo Brasil Ride 2019. Foto: Mario Jordany

No masculino, o destaque ficou para a dupla campeã do ano passado, formada por Henrique Avancini e o alemão Manuel Fumic, da Cannondale Factory Racing. A dupla fechou o percurso em 43min48seg, novo recorde do percurso.

Os vencedores da etapa foram seguidos pela dupla Sebastian Fini (Dinamarca) e Julian Schelb (Alemanha) da CST Sandd American Eagle, com o tempo de 44min39seg.

A dupla formada pelo dinamarquês Sebastian Fini e o alemão Julian Schelb (CST Sandd American Eagle) ficou em 2º, com o tempo de 44min39s, e a dupla do português Tiago Ferreira e o holandês Hans Becking (DMT Racing Team) foi a 3ª, com 44min52.

Na Elite Feminina, vitória de Letícia Cândido e Hercília Najara

Letícia Cândido (centro) e Hercília Najara (direita) no Prólogo Brasil Ride 2019

A disputa feminina também começou forte, e o Prólogo Brasil Ride 2019 ficou com a dupla Letícia Cândido e Hercília Najara (Corinthians Audax/Tripp Aventura), com o tempo de 57min11seg.

A dupla foi seguida por Raíza Goulão e Angelita Parra, que fecharam o percurso em 59min29s, seguidas de perto por Jaqueline Mourão e Danilas Ferreira da Silva, com 59min33s.

Resultados do Prólogo Brasil Ride 2019

Abaixo os 5 primeiros colocadas da Eliete Masculina, Feminina e Dupla Mista.

Open
1- Henrique Avancini (BRA) / Manuel Fumic (ALE) – 43min48s
2- Sebastien Fini (DIN) / Julian Schelb (ALE) – 44min39s
3- Tiago Ferreira (POR) / Hans Becking (HOL) – 44min52s
4- Lukas Kaufmann (BRA) / Konny Looser (SUI) – 45min43s
5- Halysson Ferreira (BRA) / Nicolas Rafhael (BRA) – 45min57s

Feminino
1- Letícia Cândido (BRA) / Hercília Najara (BRA) – 57min11s
2- Raiza Goulão (BRA) / Angelita Parra (COL) – 59min29s
3- Jaqueline Mourão (BRA) / Danilas Ferreira da Silva (BRA) – 59min33s
4- Viviane Favery (BRA) / Tania Clair Pickler (BRA) – 1h25s
5- Karen Olímpio (BRA) / Ilda Pereira (BRA) – 1h36s

Dupla Mista
1- Jose Silva / Celina Santos Carpinteiro – 56min42s
2- Thales Felipe Souza Machado / Paula Regina Novais – 56min44s
3- Bruno Rupp / Tamires Radatz – 1h01min24s
4- Elciones Gervasio Valdameri / Tatiana Furlan – 1h04min15s
5- Paulo Roberto Gomes Terra / Rejane Lima Matias – 1h04min15s

Perdeu o Prologo? Veja como foi

A próxima etapa (21/10/2019) promete ser uma das mais duras da competição. Um percurso de 143km com 2.654m de altimetria acumulada. Você pode acompanhar pelo YouTube da Brasil Ride, e conferir os resultados e destaques aqui no Até Onde Deu pra Ir de Bicicleta.

Última atualização em 21/10/2019 as 13:32

Sense Fun 2020: uma mountain bike para quem quer se divertir nas trilhas

A Sense Fun 2020 tem um nome que quer dizer bastante sobre suas características. O que esperar de uma mountain bike que tem “Fun” até no nome? Diversão, é claro! Sobre o “2020”, podemos esperar uma bicicleta moderna, ideal para quem vai encarar as trilhas com segurança e conforto.

Você vai ver neste artigo por que a Sense Fun 2020, além de divertida, tem um excelente custo-benefício e, claro, conhecer melhor este modelo e suas diferenças em relação à versão anterior. Antes, confira detalhes sobre suas características.

Quadro da Sense Fun 2020: dimensões e materiais

Sense Fun

O material do quadro é o alumínio Sense 6061 de dupla espessura T4/T6. O material é leve o suficiente para deixar a bike bem confortável e fácil de guiar mesmo nos terrenos mais acidentados. O peso total do conjunto é de 14,1 kg.

A geometria do quadro foi levemente renovada em relação ao modelo anterior, a Sense Fun 2019. Visualmente é difícil de perceber, mas o ciclista fica em uma posição um pouco diferente. Desta maneira, o novo desenho traz maior conforto, além de mais resistência.

A Sense oferece quatro tamanhos de quadro: 

  • Tamanho S – Para quem tem entre 1,56m e 1,68m de altura
  • Tamanho M – Para pessoas entre 1,69m e 1,77 de altura
  • Tamanho L – Ciclistas com 1,78m a 1,86m de altura
  • Tamanho XL – Para quem mede entre 1,87m e 1,96m. 

Para tornar a bicicleta ainda mais confortável, selim e o suporte de guidão contam com a possibilidade de ajustes.

Suspensão com trava da Sense Fun 2020 garante maior tração

Detalhe da suspensão RST Blaze 29

Muita gente se pergunta o que é a suspensão com trava. A resposta é simples: quando precisamos imprimir mais força para pedalar, em uma subida por exemplo, é importante que o conjunto esteja bem firme para que a tração seja maior, tornando o gasto de energia mais eficiente.

É justamente neste momento que a trava faz a diferença, eliminando o movimento da suspensão e dando uma bela força para o ciclista! No caso da Fun 2020, a suspensão é a RST Blaze 29, com 100 mm e trava.

Outra novidade da Sense Fun 2020 são os pneus, mais largos e resistentes. A fornecedora continua sendo a Chaoyang , mas enquanto o modelo do ano passado contava com o pneu Victory 29 x 2.10, a nova bicicleta usa o 29 x 2.10.

Importante dizer que a maior característica destes pneus é a durabilidade. Eles contam com bordas de encaixe reforçadas em Kevlar. Além disso, os cravos de tamanho médio, garantem um excelente grip, o que significa mais segurança nas curvas, mesmo na terra. 

Sense Fun e Shimano, uma boa dupla!

Trocadores, freios, discos dianteiro e traseiro, movimento central, pedivela, cassete e os câmbios (24 marchas) são Shimano. Quem conhece pelo menos um pouco sobre o ciclismo, sabe que a marca japonesa é sinônimo de qualidade.

Por todo este conjunto de características, essa é uma ótima mountain bike para quem está começando a se aventurar nas trilhas, mas ciclistas mais experientes podem preferir outros modelos com outras tecnologias.

Vale a pena comprar a Sense Fun 2020?

No fim das contas, o que vale mesmo é que os benefícios oferecidos são muito bem pagos pelo valor que ela custa.

Se o orçamento não é um problema para você, pode encontrar outras mountain bikes no mercado, Mas, se você busca uma bicicleta com excelente custo-benefício, pode apostar com tranquilidade na Sense Fun 2020.

Onde comprar a bike com bons preços?

O preço sugerido no site da Sense é de R$ 2590,00. Nos links abaixo nos separamos algumas lojas pra você pesquisar os preços atualizados e encontrar a melhor opção:

Sense One 2020: confira as novidades dessa MTB de entrada

A Sense One 2020 tem uma grande sacada: entende muito bem o seu público. Ela é uma mountain bike de entrada. Isso significa que ela busca os iniciantes no mundo das pedaladas e apresenta características que agradam justamente este perfil de novos ciclistas. Tudo isso sem abrir mão de novidades que agradam bastante, mas não levam o preço muito para cima.

Pense bem! Um iniciante precisa testar as várias possibilidades que uma bike oferece. É preciso um modelo que possa circular bem pelas ruas ou parques da cidade, mas precisa também de conforto e resistência para experimentar a adrenalina que as trilhas e terrenos mais acidentados proporcionam.

Além disso, todos querem pedalar uma bicicleta bonita, não é? Tanto o modelo da Sense One 2020 em preto, azul e rosa quanto o preto, azul e laranja são bem bonitos.

Para conhecer um pouco mais sobre este novo modelo da Sense Bike, confira os detalhes de seus características nas seções abaixo e veja se esta é a bicicleta que está procurando!

Segurança acima de tudo: a Sense One 2020 sabe disso

Sense one 2020 visao frontal

Ciclistas mais experientes estão sujeitos a acidentes, isso é um fato. Se até para atletas testados o risco existe e deve ser levado em conta, esse perigo é ainda maior para aqueles que ainda estão em busca de experiência.

Sendo assim, uma das principais preocupações de uma bicicleta para iniciante precisa ser necessariamente a segurança. A Sense sabe muito bem disso e entrega essa qualidade no modelo One 2020. 

Os pneus Chaoyang Victory 29 x 2.10 são um dos itens que passam essa segurança. Eles têm a tecnologia Shark Skin, uma camada de Nylon que reforça a peça para que vidros ou objetos pontiagudos perfurem a carcaça. 

Há também uma camada de Kevlar e borracha de de 1.5mm, oferecendo maior proteção contra possíveis furos. Os cravos são justos e oferecem uma boa aderência mesmo em solos molhados.

Outro ponto importante para quem está começando a se aventurar com a bike é escolher o modelo correto de acordo com a sua altura. Isso traz mais segurança e também mais conforto. A Sense Bike One tem quatro tamanhos diferentes:

  • Tamanho S – Para quem tem entre 1,56m e 1,68m de altura
  • Tamanho M – Para pessoas entre 1,69m e 1,77 de altura
  • Tamanho L – Ciclistas com 1,78m a 1,86m de altura
  • Tamanho XL – Para quem mede entre 1,87m e 1,96m. 

Se você quer uma montain bike um pouco mais completa, conheça também a Sense Fun 2020!

Novo quadro e mais novidades da Sense One 2020

O quadro também é reforçado em alumínio Sense de dupla espessura. O material é leve e faz com que o conjunto todo não fique muito pesado. Na verdade são apenas 14,7 kg.

A nova geometria esportiva da peça deixa o ciclista em uma posição mais confortável, o que é de extrema importância para que o iniciante não perca a vontade de pedalar. Além disso há a possibilidade de implantar upgrades no futuro caso o usuário ache necessário.

Outras novidades da Sense One 2020:

sense one detalhe suspensao
Detalhe do freio e suspensão
  • Freios a disco Shimano hidráulicos
  • Suspensão RST Gila, de 100mm
  • Grupo Shimano de 21 marchas.

Afinal, vale a pena comprar a Sense One 2020?

Sem dúvida trata-se de uma bicicleta bastante adequada para o iniciante. A versatilidade para diferentes tipos de terreno e a segurança que este modelo da Sense proporciona devem ser levada em conta no momento da compra. 

Se você é está começando a pedalar ou está retomando essa rotina depois de um tempo afastado, pode apostar sem medo neste modelo e conhecer, ou relembrar, como é prazeroso andar por aí com uma bike bacana!

Onde comprar a bike com bons preços?

O preço sugerido no site da Sense é de R$ 1990,00. Nos links abaixo nos separamos algumas lojas pra você pesquisar os preços atualizados e encontrar a melhor opção: