Monitor cardíaco para ciclistas: como usar e escolher o correto para você!

0
249
Monitor Cardíaco para ciclistas Polar A300
Monitor Cardíaco Polar A300, com cinta Bluethoot

Na hora de deixar os seus treinos mais eficientes e ganhar muito mais qualidade no pedal, muitos optam pelo monitor cardíaco para ciclistas, controlando a intensidade do esforço e programando treinos que variam sprints e força.

Apesar de extremamente útil em diversas modalidades esportivas, não apenas no ciclismo, muitas pessoas têm dúvidas sobre como usar corretamente o monitor cardíaco e principalmente como escolher o modelo certo, diante de tantas opções no mercado.

Esse é o seu caso? Então continue a leitura e tire todas as suas dúvidas.

Monitor cardíaco para ciclistas: qual a importância?

Monitor Cardíaco TomTom Runner 3 Cardio
Monitor Cardíaco TomTom Runner 3 Cardio

Também conhecidos como frequencímetros, os monitores cardíacos funcionam basicamente da mesma maneira: oferecendo para você uma média de batimentos por minuto (BPM).

Mas, você sabe exatamente o que significa essa informação e qual a sua utilidade?

Antes de qualquer coisa, vale a pena salientar que a frequência cardíaca é algo diferente de pessoa para pessoa e pode variar de acordo com o sexo, a idade e o preparo físico.

Frequência máxima e zonas de treino

Direitos autorais: gilitukha / 123RF Imagens

O mais importante quando falamos em monitores cardíacos é que você consiga definir qual é a sua frequência máxima e, assim, entender em qual zona de frequência cardíaca se encontra o seu treino.

Para definir a frequência máxima existe uma conta bem fácil de ser feita (e que muitos monitores já realizam sozinho) que é: frequência cardíaca máxima = 220 – a sua idade.

Definida a sua frequência cardíaca máxima, você poderá entender em qual zona o seu treino está, como:

  • zona 1 – BPM varia de 50% a 65% da sua frequência máxima: é a zona mais usada nas fases de aquecimento e de pós-treino, sendo considerada leve e simples, não exigindo muito do ciclista;
  • zona 2- BPM varia de 65% a 75% da sua frequência máxima: é uma zona favorável à perda de peso e também à conservação da energia. Para pedais longos, essa é a mais recomendada;
  • zona 3- BPM varia de 75% a 85% da sua frequência máxima: é uma faixa indicada para melhorar a condição cardiovascular e também leve fortalecimento muscular, tornando o pedal mais difícil;
  • zona 4- BPM varia de 85% a 92% da sua frequência máxima: é um estágio conhecido como o “limiar do lactato”, ou seja, o esforço já está bem alto e o seu corpo está produzindo ácido láctico numa velocidade maior do que a absorvida, podendo causar desconfortos. Normalmente, essa zona é indicada para quem deseja competir em provas com 1 hora ou menos de duração;
  • zona 5- BPM varia de 92% a 100% da sua frequência máxima: esse é o limite e praticamente nenhuma pessoa consegue manter os batimentos nessa zona por muito tempo, geralmente ela é alcançada em sprints, quando necessitamos de uma explosão muscular maior.

O que esses dados revelam?

Monitorar a sua frequência cardíaca, como você viu, pode indicar se o seu treino está muito leve ou pesado, dependendo dos seus objetivos. Por isso, um monitor cardíaco para ciclistas pode lhe ajudar a conseguir atingir as metas que você deseja e a tornar os seus treinos bem mais eficientes.

Por exemplo, se você deseja começar a se preparar para uma prova que terá curta duração e muitos sprints, não adianta realizar treinos nos quais você apenas varie entre a zona 1 e a zona 2. Assim como, para quem deseja emagrecer pedalando, essas informações são extremamente importantes.

Quanto mais condicionamento você for ganhando, mais você notará que o seu coração ficará eficiente, ou seja, os seus batimentos estarão em um ritmo mais lento. Isso significa que será mais difícil mudar de uma zona para outra, necessitando de ainda mais esforço. Essa informação pode ser valiosa, ajudando você a entender a sua progressão.

Monitor cardíaco para ciclistas: como funciona?

Monitor Cardíaco para ciclistas Polar M430 com gps
Monitor Cardiaco Polar M430 com gps

Os monitores cardíacos mais indicados para os ciclistas são aqueles que possuem uma faixa peitoral que capta os sinais elétricos da pulsação do coração e transmitem esses dados tanto para um relógio, como para o computador de bordo ou GPS da sua bike.

Normalmente, tanto a cinta, como o relógio contam com baterias a pilha separadas. Além disso, alguns modelos de monitores cardíacos ainda permitem armazenar e transferir os dados para um computador, ou ainda se comunicarem com aplicativos, como o Strava. Isso ajuda você a analisar ainda mais de perto a sua evolução.

Na hora de escolher o modelo, contudo, é preciso atenção, porque geralmente os modelos de monitores que se comunicam com o relógio, não se comunicam com os smartphones e vice-versa.

Dicas para escolher o monitor cardíaco para ciclistas

Depois de ler os tópicos anteriores, você já está convencido de que um monitor cardíaco era o que faltava para tornar os seus treinos muito mais eficientes? Pois saiba que existe uma infinidade de modelos no mercado e encontrar o certo para você pode exigir um pouco de paciência e atenção.

Veja algumas dicas que separamos e que podem lhe ajudar.

Relógio ou celular

Como dissemos, os modelos que se comunicam com o relógio não costumam funcionar no smartphone e vice-versa. Para fazer a comunicação com celular a cinta deve ter transmissão de dados por Bluethoot (e o celular também).

O relógio é bem simples e prático, principalmente para ser usado durante as pedaladas. Além disso, ele pode ser mais resistente à quedas do que o celular. Contudo, nem todos os modelos possuem extração de dados e pode ser difícil fazê-lo se comunicar com os aplicativos de treino.

Monitor Cardiaco Speedo Jest

Já a cinta que se comunica com o celular oferece mais possibilidades nesse sentido, permitindo que você use o seu aplicativo favorito e monitore mais de perto a sua evolução. Porém, você precisará pensar em uma forma de levar o seu celular no pedal e ficar de olho nele, acompanhando o seu BPM.

Monitor Cardíaco para ciclistas Polar A300
Monitor Cardíaco Polar A300, com cinta Bluethoot

Decidir entre um ou outro dependerá apenas das suas preferências.

Funcionalidades

Gps para ciclismo Garmin Edge 1030
Gps Garmin Edge 1030, com monitor cardíaco e medidor de cadência

Além de monitorar a frequência cardíaca, muitos desses aparelhos oferecem uma gama de possibilidades, alguns até conseguindo medir também a sua cadência, velocidade, entre outras informações semelhantes a um computador de bordo.

Tente não ficar preso apenas as funcionalidades que você mais usa hoje. Pense que, esse investimento poderá ser usado também no futuro, quando você tiver mais preparo físico e desejar fazer treinos variados. Assim, um equipamento com mais funcionalidades poderá ser mais interessante (desde que você aprenda a usá-las, claro).

Agora, se você optar por um monitor que “converse” com o celular, lembre-se que muitas das funcionalidades acabarão sendo definidas pelo aplicativo.

Compare os modelos

Pulseira Monitor Cardíaco De Pulso MIO FUSE Bluetooth

Antes de fechar a sua compra, busque reviews sobre os modelos que você se interessou, converse com outros amigos ciclistas e tente entender como é a experiência deles com o produto em questão.

Saiba se o produto tem assistência técnica no Brasil, se a marca é de confiança, se existe um número grande de reclamações, entre outros dados.

Onde comprar o meu monitor cardíaco para ciclistas?

Depois de todas essas informações, já está decidido pela compra de um monitor cardíaco para ciclistas? Então confira os links abaixo onde você pode ver diversos modelos com preços atualizados:

E se você prefere um monitor cardíaco já integrado dentro de um GPS para ciclismo, pode conferir os modelos abaixo:

E, então, gostou das nossas dicas sobre monitor cardíaco para ciclistas? Aproveite e compartilhe este conteúdo em suas redes sociais e ajude os seus amigos do pedal.

DEIXE UMA RESPOSTA